AFP PHOTO / ATTILA KISBENEDEK
AFP PHOTO / ATTILA KISBENEDEK

Áustria envia Exército à fronteira para ajudar policiais no controle da região

Chanceler alertou que o objetivo das forças de segurança será controlar os refugiados e oferecer ajuda humanitária

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 08h58

VIENA - A Áustria anunciou nesta segunda-feira, 14, sua decisão de enviar o Exército para a fronteira com a Hungria com o objetivo de ajudar os policiais no controle da área, diante da chegada em massa de refugiados do Oriente Médio.

O chanceler federal austríaco, Werner Faymann, destacou à imprensa que a missão das forças de segurança será controlar os refugiados, mas também oferecer ajuda humanitária em caso de necessidade.

Autoridades austríacas disseram que não tinham outra opção após a decisão alemã tomada no domingo, que suspendeu efetivamente o regime de Schengen, em vigor há 20 anos, permitindo a livre travessia de fronteiras dentro do continente.

Cerca de 2.200 soldados serão enviados à região perto da fronteira para controlar os refugiados e garantir uma entrada "ordenada" de pessoas, acrescentou o vice-chanceler austríaco Reinhold Mitterlehner.

"Desordenado e de forma permanente, assim não podemos continuar", disse Mitterlehner em referência à entrada de dezenas de milhares de refugiados procedentes da Hungria nos últimos dez dias. "A situação na Áustria e na Alemanha já não está sob pleno controle."

As cúpulas dos governos da Áustria e da Alemanha devem se reunir amanhã para analisar a situação dos refugiados.

Antes do anúncio, imigrantes estavam andando pela fronteira da Hungria com a Áustria no maior ritmo até o momento. A polícia informou que as acomodações de emergência estavam se esgotando, inclusive os acampamentos com barracas perto da fronteira e estacionamentos nas estações ferroviárias. /EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
imigraçãocriseEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.