Áustria prende bósnio suspeito de complô

Viena - A polícia austríaca prendeu ontem um homem que tentou entrar com uma mochila com explosivos na Embaixada dos EUA em Viena. De acordo com a porta-voz da polícia, Doris Edelbacher, o suspeito é um homem de origem bósnia, de 42 anos. "Ele está sendo interrogado, mas aparentemente está um pouco confuso", disse Edelbacher.Os explosivos foram detectados pela segurança na entrada do prédio. Após o alarme, o suspeito fugiu, jogando a mochila numa rua perto do local. Momentos depois, ele foi preso por policiais. A polícia afirmou que a mochila continha dois artefatos similares a granadas, outros materiais explosivos, pregos e um livro com "referências ao Islã". Por medidas de segurança, a mochila foi detonada pelo esquadrão antibombas austríaco. A área perto da embaixada foi isolada e cães farejadores vasculharam o local à procura de outras bombas.Edelbacher disse que investigadores "ainda não concluíram" se os explosivos estavam prontos para serem detonados e afirmou que o suspeito não tem antecedentes criminais. O jornal Die Presse, citando fontes policiais, afirmou que o bósnio parecia desequilibrado no momento de sua prisão, dizendo frases desconexas.A Comunidade Islâmica da Áustria condenou o incidente, afirmando que rejeita qualquer tipo de fundamentalismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.