Autocrata era obcecado por cinema

Se ameaças de potências pareciam não mexer muito com Kim Jong-il, o mesmo não pode ser dito dos filmes de Elizabeth Taylor. O homem que manteve o poder absoluto na Coreia do Norte desde 1994 idolatrava a atriz americana e tinha a filmografia completa de sua musa.

O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2011 | 03h02

Além de ogivas nucleares, Kim cuidadosamente guardava um acervo de 20 mil DVDs em seu palácio. Kim gostava tanto de cinema que, em 1978, sob o governo de seu pai, Kim Il-sung, mandou sequestrar seu diretor favorito - o sul-coreano Shin Sang-ok. Capturado enquanto visitava Hong Kong, Shin foi levado a Pyongyang coberto em plástico bolha. O ditador gostava de Rambo e James Bond. Sobre Amistad, de Steven Spielberg, disse que era "triste demais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.