Ministério do Interior da Bulgária/NYT
Ministério do Interior da Bulgária/NYT

Autor de ataque na Bulgária esteve em Guantánamo, diz imprensa local

Mehdi Ghezali seria cidadão sueco; ele esteve na prisão americana em Cuba entre 2002 e 2004

estadão.com.br,

19 de julho de 2012 | 13h02

Texto atualizado às 15h15

SÓFIA - A imprensa búlgara informou nesta quinta-feira, 19, que o país identificou como Mehdi Ghezali o autor do ataque terrorista que matou pelo menos sete pessoas e deixou 30 feridos ontem no aeroporto da cidade costeira de Burgas. Segundo os jornais locais, Ghezali teria passado dois anos preso em Guantánamo.

Veja também:

linkFilme mostra suposto homem-bomba em ataque na Bulgária

linkChanceler búlgaro confirma que bomba causou explosão

linkNetanyahu responsabiliza Irã por ataque

De acordo com relatórios divulgados pela imprensa na Bulgária, Ghezali seria cidadão sueco, com origens na Argélia e na Finlândia. Ele esteve detido na prisão americana em Cuba entre 2002 e 2004. O terrorista teria estudado em uma escola religiosa na Grã-Bretanha e viajado para Arábia Saudita, Paquistão e Afeganistão. Em 2009, foi capturado com outros 11 estrangeiros ao tentar entrar no Afeganistão.

Segundo o jornal Times of Israel, contudo, não há confirmação até o momento sobre a veracidade da informação.

O Ministério do Interior da Bulgária divulgou fotos do suposto autor do atentado. Em imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Burgas, destino turístico muito popular entre israelenses, é possível ver o homem de boné e com uma grande mochila nas costas.

Hezbollah

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, responsabilizou a milícia xiita libanesa Hezbollah de estar por trás do ataque. A afirmação do político foi feita em entrevista coletiva na qual acusou a milícia fundamentalista de ser "o mais longo braço de atuação do Irã".

Para Netanhayu este é o momento de todas as nações do mundo conhecerem "a verdade", que para ele é: o "Irã está por trás da onda de terrorismo, é o exportador de terrorismo número um."

Com Efe   

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.