Lehtivuka/Roni Lehti via REUTERS
Lehtivuka/Roni Lehti via REUTERS

Autor de ataque na Finlândia é um jovem jihadista marroquino

Esfaqueamento provocou a morte de duas pessoas e deixou outras nove feridas

O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2017 | 07h30

HELSINQUE - A polícia da Finlândia informou neste sábado, 19, que um jovem jihadista marroquino de 18 anos é o autor do ataque com uma faca provocado na sexta-feira, 18, na cidade de Turku, no sudoeste do país, que deixou duas pessoas mortas e outras nove feridas.

Após identificar e interrogar o agressor, que foi ferido em uma perna e detido pouco após o ataque, as autoridades constataram que ele tinha motivação terrorista. O agressor era um solicitante de asilo que chegou ao país no começo de 2016, informou, neste sábado, a polícia finlandesa.

Em um breve comunicado, a Polícia informou que as duas vítimas e vários feridos são de nacionalidade finlandesa, mas também há um italiano e dois suecos. O autor do ataque continua internado na Unidade de Tratamento Intensivo após ser atingido por um tiro na perna, atacou os transeuntes em pleno centro da cidade de forma aleatória, ainda que a polícia suspeite que ele tenha optado preferencialmente por vítimas femininas.

"Acreditamos que as vítimas foram escolhidas ao acaso, mas seu alvo primordial foram mulheres. Das dez vítimas, oito são mulheres e os únicos dois homens feridos foram atacados por tentar ajudar as mulheres e deter o agressor", disse em coletiva de imprensa a porta-voz policial Krista Granroth.

As duas vítimas mortais são duas mulheres de 67 e 15 anos, explicou a polícia.

Segundo a reconstrução policial dos fatos, o ataque começou por volta das 16h (horário, local, 10h em Brasília), quando o jovem esfaqueou uma pessoa na praça de Puutori e posteriormente um homem que foi em ajuda da vítima.

Um grupo de pessoas o enfrentou com paus e outros objetos contundentes, fazendo o agressor fugir da praça por uma rua adjacente, onde atacou várias outras pessoas que passavam por seu caminho.

Finalmente, uma patrulha da Polícia o encontrou, e o jovem tinha uma atitude muito agressiva, pelo que as forças de segurança atiraram em sua coxa e realizaram sua detenção, segundo o relato policial. 

Dois dos oito feridos continuam internados na unidade de terapia intensiva, mas não correm risco de morte, enquanto a maioria dos outros feridos já recebeu alta.

Entre os feridos há uma pessoa de nacionalidade sueca, uma italiana e uma britânica que em um primeiro momento disse ser sueca.

As forças de segurança detiveram durante a noite em um apartamento de Turku outros quatro marroquinos que estiveram em contato com o agressor e atualmente investigam se têm ligação com o ataque.

Em sua conta no twitter, o primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipila, lamentou a tragédia. “Minhas profundas condolências às famílias e amigos das vítimas de Turku. Os eventos chocam a todos nós. Força também aos feridos”.

Cinco pessoas foram detidas durante a noite de sexta-feira. A polícia finlandesa trata o esfaqueamento como ato terrorista. Além disso, investiga, em cooperação com a Interpol, se o ataque de Turku tem algum tipo de relação com os atentados das cidades espanholas de Barcelona e Cambrils, que também foram perpetrados por cidadãos marroquinos./ EFE

Tragédia. A polícia finlandesa informou que ao menos duas pessoas morreram após serem esfaqueadas na cidade de Turku, oeste da Finlândia, nesta sexta-feira, 18. Um suspeito foi baleado na perna e preso. Ele ainda não teve sua identidade revelada e foi levado para o principal hospital da cidade. Autoridades recomendam que população e turistas evitem o centro da cidade. A polícia finlandesa já reforçou a segurança no aeroporto de Helsinque e nas estações de trem da região, e iniciou uma caçada por outros possíveis agressores. Pouco depois, anunciou também um reforço na segurança em todo o país, com atuação de patrulhas adicionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.