Autor de ataque no Texas frequentava sites do EI

Elton Simpson trocou mensagens comextremista que instigou atentado ao concurso de caricaturas de Maomé

CLÁUDIA TREVISAN , CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2015 | 02h04

Elton Simpson, um dos autores do fracassado atentado a um concurso de caricaturas do profeta Maomé no Texas, era um ativo membro da comunidade ligada ao Estado Islâmico (EI) no Twitter. Nos dias que antecederam a ação, ele trocou mensagens com um recruta do grupo que havia instigado os "irmãos" nos EUA a realizarem ataques semelhantes ao que atingiu a revista francesa Charlie Hebdo em janeiro.

Análise de sua atividade online feita pelo SITE Intelligence Group indica que Simpson seguia e era seguido por um membro proeminente do EI na Síria e um recruta da organização com base na Somália. O primeiro usa o nome de guerra de Abu Hussain al-Britani e acredita-se que seja o britânico Junaid Hussain, apontado como autor do ciberataque contra uma conta do Comando Central dos EUA em janeiro.

Hussain al-Britani foi o primeiro combatente do EI a retweetar a mensagem na qual Simpson anunciou o atentado, menos de meia hora antes de chegar ao local do concurso, no domingo à noite. Simpson e Nadir Soofi foram mortos por um guarda logo depois de começarem a atirar contra os homens que faziam a segurança do local - um deles teve um ferimento sem gravidade na perna.

Minutos depois do fracassado ataque, Al-Britani escreveu em sua conta: Doisde nossos irmãos acabam de abrir fogo. Eles pensavam que estavam a salvo dos soldados do Estado Islâmico no Texas.Vocês ainda não viram nada."

Rita Katz, diretora do SITE e especialista em terrorismo, escreveu em sua análise sobre a conta de Simpson no Twitter que ela parecia estar incorporada à comunidade online de seguidores do EI. Segundo Katz, Simpon seguia 400 pessoas em todo o mundo, de meros simpatizantes a combatentes que estão na linha de frente do grupo extremista.

No dia 23 de abril, um americano apontado como recrutador do EI na Somália, Mohamed Abdullahi Hassan, publicou um tuíte com um link para o concurso de caricaturas de Maomé realizado na cidade texana de Garland, acompanhado da mensagem: "Os irmãos do ataque à Charlie Hebdo fizeram sua parte. É o momento de os irmãos dos #EUA fazerem a sua".

O levantamento do SITE mostra que Simpson retweetou a mensagem. Três dias mais tarde, ele pediu a Hassan - que usa o nome Mujahid Miski online - que se comunicasse com ele por meio de mensagens diretas. Apesar de elas não serem públicas, Katz considera provável que ambos tenham discutido o ataque no Texas.

"A ação por si só é alarmante e mostra o poder que um único tweet pode exercer quando divulgado dentro de uma comunidade como a que o EI tem no Twitter", observou Katz.

Na terça-feira, a rádio oficial do EI divulgou uma mensagem que vincula a organização à fracassada ação em Garland, na primeira vez em que o grupo extremista reivindicou a responsabilidade por um ataque nos EUA. Mensagem anônima colocada ontem no site de compartilhamento de arquivos Just Paste It disse que o EI possui 71 soldados nos EUA prontos para agir em 15 Estados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.