AP
AP

Autor de atentado em Manchester fez escala em Düsseldorf, diz polícia alemã

Jornal informou que fontes policiais da Alemanha disseram que Salman Abedi esteve pelo menos duas vezes no país nos últimos dois anos

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2017 | 08h47

BERLIM - A polícia alemã disse nesta quinta-feira, 25, que Salman Abedi, suposto autor do atentado suicida em Manchester, fez uma escala em Düsseldorf, contradizendo informações da imprensa local segundo as quais ele teria permanecido na cidade do oeste da Alemanha.

O jornal alemão Focus havia indicado que os investigadores britânicos da Scotland Yard contactaram as autoridades alemães porque Abedi teria pego um voo de Düsseldorf para Manchester quatro dias antes do atentado suicida realizado na segunda-feira à noite ao fim de um show da cantora americana Ariana Grande, que deixou 22 mortos e 64 feridos.

"Segundo as investigações, o suspeito fez uma escala no aeroporto de Düsseldorf para mudar (de avião). Ele permaneceu um curto período de tempo na zona de trânsito", indicou a polícia local sem fornecer maiores detalhes sobre a data ou local de chegada do jovem britânico de origem líbia.

O Focus ainda informou que fontes policiais alemãs disseram que Salman Abedi esteve pelo menos duas vezes na Alemanha nos últimos dois anos. A outra vez que se tem conhecimento de que o terrorista esteve no território alemão foi em 2015, quando voou de Frankfurt para o Reino Unido, aparentemente vindo da Síria, onde havia participado de um acampamento de formação paramilitar, segundo informaram fontes de segurança britânicas aos seus colegas alemães.

A polícia no Estado da Renânia do Norte-Westfalia, cuja capital é Düsseldorf, e os serviços secretos nacionais buscam agora tentar identificar possíveis contatos do jovem suicida britânico pela região.

As forças de segurança alemãs falaram para a Focus que Abedi não estava em seu radar e não aparece em nenhuma lista de suspeitos. Além disso, não pesava sobre ele nenhum mandado de busca internacional.

Abedi detonou uma bomba de fabricação caseira na saída de um show da cantora americana Ariana Grande, no qual havia muitas crianças e adolescentes. O grupo jihadista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque, o segundo realizado neste ano no Reino Unido. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.