Jane Flavell Collins/AP
Jane Flavell Collins/AP

Autor de atentado na Maratona de Boston pede desculpas para parentes das vítimas

Na primeira vez em que falou publicamente sobre o ataque, Dzhokhar Tsarnaev lamentou o sofrimento e os danos que causou e afirmou que reza para 'Alá conceder misericórdia aos afetados'

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 16h02

BOSTON - Dzhokhar Tsarnaev, um dos autores do atentado na Maratona de Boston, falou publicamente pela primeira vez sobre o caso nesta quarta-feira, 24, e pediu desculpas para as vítimas e para os sobreviventes do ataque, em abril de 2013. Tsarvaev, de 21 anos, foi ouvido antes de um juiz federal o sentenciar formalmente à pena de morte.

Falando em inglês, mas com sotaque russo, Tsarnaev disse que escutou a todos que falaram durante o julgamento e conheceu a força, a paciência e a dignidade dos sobreviventes. Ele disse estar arrependido pelos danos irreparáveis que causou e afirmou que reza pelas vítimas.

"Eu gostaria de pedir desculpas às vítimas e aos sobreviventes", disse Tsarnaev. "Eu realmente fui responsável pelo atentado."

Foi a primeira vez que o jovem foi ouvido na Corte Federal de Boston, com exceção do momento em que se declarou não culpado. 

"Lamento pelas vidas que tomei, pelo sofrimento que causei e pelo terrível dano que eu fiz", disse Tsarnaev, aparentemente lendo a mensagem de uma declaração por escrito. "Eu sou muçulmano. Minha religião é o islamismo. Eu rezo para Alá conceder sua misericórdia sobre aqueles afetados na explosão e suas famílias. Eu rezo para que se curem."

Tsarnaev também disse rezar para que Alá tenha misericórdia dele, de seu irmão e de sua família. Tamerlan, irmão mais velho de Dzhokhar que o ajudou a colocar as bombas na maratona, morreu em uma troca de tiros com a polícia dias depois do atentado.

Três pessoas morreram e mais de 260 ficaram feridas em razão da explosão de duas bombas perto da linha de chegada da Maratona de Boston, em 2013. Tsarnaev também foi considerado culpado pela morte, dias depois de um policial do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). 

Tsarnaev fez sua declaração depois de horas de depoimentos de parentes dos mortos e dos sobreviventes das explosões. "Não é possível ter alma e fazer algo tão terrível", disse Karen Rand McWatters, que perdeu uma perna no atentado.

Patricia Campbell, mãe de Krystle Campbell, de 29 anos, uma das vítimas das explosões, foi a primeira a falar. Olhando diretamente para Tsarnaev e sentada a menos de 6 metros do réu, ela disse que o que ele fez foi "asqueroso". "Não sei o que te dizer. Acho que o júri fez a coisa certa."

Bill  Richard, cujo filho de 8 anos, Martin, foi a vítima mais nova do ataque, falou que Tsarnaev poderia ter feito as coisas diferentes se não tivesse seguido com o plano e denunciado seu irmão para as autoridades. Para Richard, no entanto, ele "escolheu o ódio, a destruição". "Escolheu a morte. Isto é tudo sua culpa. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUABostonDzhokhar Tsarnaev

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.