Naohiko Hatta/AP
Naohiko Hatta/AP

Autor de massacre no Japão diz que objetivo era deixar 'todos felizes'

Satoshi Uematsu, de 26 anos, atacou na semana passada deficientes em uma clínica em que ele havia trabalhado e depois se entregou para a polícia; 19 pessoas morreram e 26 foram feridas

O Estado de S. Paulo

02 Agosto 2016 | 11h25

TÓQUIO - O autor confesso do massacre em uma clínica de deficientes no Japão que matou 19 pessoas disse a polícia que cometeu o crime para fazer "todos felizes", segundo fontes da investigação citadas nesta terça-feira, 2, pela emissora pública "NHK".

O responsável pelo massacre, Satoshi Uematsu, um ex-funcionário do local, disse para as forças de segurança que achava que todo o mundo seria feliz com as mortes, depois que seus colegas de trabalho afirmaram que consideravam que cuidar dos pacientes era difícil, embora ele não achasse.

O jovem de 26 anos invadiu na semana passada uma clínica de deficientes psíquicos da cidade de Sagamihara, na Província de Kanagawa, e após imobilizar os seguranças atacou os pacientes a facadas enquanto dormiam.

O ataque durou cerca de 50 minutos e durante esse tempo ele matou 19 pacientes e feriu 26 - quatro ainda estão em coma -, do total de 149 deficientes que residiam na clínica, segundo informações de fontes policiais.

Uematsu escolheu como vítimas alguns dos pacientes da clínica com maior grau de incapacidade, segundo o relato do próprio autor do ataque, que se entregou em uma delegacia perto do local do massacre. Outro detalhe sobre a investigação é que antes de se entregar para a polícia Uematsu parou em uma loja onde comprou doces. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.