Marilyn Newton/AP
Marilyn Newton/AP

Autor de tiroteio em escola dos EUA tinha 12 anos e pode ter sofrido bullying

Criança teria sofrido assédio escolar; professor que morreu se jogou para proteger estudantes

EFE,

22 de outubro de 2013 | 19h34

WASHINGTON - O autor do tiroteio ontem em um colégio de Sparks, no estado de Nevada , tinha 12 anos e pode ter sofrido assédio escolar, enquanto o professor de 45 anos que morreu se jogou para proteger os outros estudantes, relataram nesta terça-feira testemunhas e familiares.

O autor dos disparos, um estudante não identificado, matou Michael Landsberry, professor de matemática da escola e veterano da Marinha, e feriu dois colegas, também de 12 anos, que aparentemente eram seus amigos.

Depois se suicidou com uma pistola semiautomática que as autoridades acreditam pertencer a seus pais.

Uma aluna da escola, onde estudantes crianças entre 11 e 13 anos, contou à emissora "CNN" que o autor do tiroteio era "um bom menino" e que algumas ocasiões viu que sofria bullying de outros colegas.

Quanto a Landsberry, uma testemunha que presenciou o tiroteio contou que o professor estava conversando com o adolescente e tentando convencê-lo a baixar a arma quando recebeu os disparos.

"Michael era o tipo de pessoa que, se alguém precisava de ajuda, ele estava ali", comentou seu irmão, Reggie Landsberry.

Antes de se dedicar ao ensino, Landsberry esteve várias vezes no Afeganistão como membro da Guarda Nacional Aérea de Nevada.

Em dezembro um tiroteio em uma escola primária de Newtown (Connecticut) acabou com a vida de 20 crianças entre cinco e seis anos, e de seis adultos.

Tudo o que sabemos sobre:
tiroteioNevadaEstados Unidosbullying

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.