Autoridade canadense diz que bombardeio foi "de gelar"

O vice-primeiro-ministro do Canadá, John Manley, visto como o membro mais pró-americano do gabinete canadense, disse nesta sexta-feira que as imagens do bombardeio do Iraque foram ?enregeladoras? e encorajou Washington a reconstruir o país rapidamente para evitar uma reação violenta.Os comentários de Manley foram os primeiros feitos por um membro do governo canadense desde o início do bombardeio de Bagdá e de outros alvos iraquianos.?É de gelar. É inimaginável o que deve ter sido estar lá, estar em casa e ver e ouvir a força daquele ataque e sentir o desamparo que devem ter sentido os cidadãos comuns do Iraque. Só se pode desejar que a paz não demore a voltar?, declarou ele à rede de televisão CBC. Os Estados Unidos são o aliado mais importante do Canadá, mas Ottawa não engajou tropas na guerra. Muitos parlamentares do situacionista Partido Liberal estão profundamente infelizes com a decisão de Washington de atacar o Iraque e criticaram abertamente o presidente americano, George W. Bush.Homens de negócios canadenses, no entanto, estão preocupados com que as lucrativas relações entre os dois países sejam prejudicadas se as críticas não pararem.Manley previu que a reação pública em todo o mundo aos ataques seria extremamente negativa. Por isso, em sua opinião, seria importante que os Estados Unidos e o Ocidente ajudassem a reconstruir o Iraque, ?de uma forma que a população da região possa sentir que valeu a pena enfrentar esse enorme perigo?, disse.O primeiro-ministro, Jean Chretien, pediu aos canadenses nesta quinta-feira para não criticar os Estados Unidos porque isso podia ser interpretado como apoio a Saddam Hussein.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.