Autoridade chinesa é investigada por suspeita de corrupção

Ma Jian, vice-ministro do Ministério de Segurança do Estado, é a autoridade de mais alto escalão a ser investigada desde julho

O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2015 | 08h35

A China abriu investigação contra um dos principais chefes do setor de espionagem do país por suposta corrupção, informou o órgão de combate a irregularidades do Partido Comunista nesta sexta-feira, sinalizando que a maior campanha contra corrupção em décadas atingiu o poderoso aparato de inteligência chinês.

Ma Jian, vice-ministro do Ministério de Segurança do Estado, é a autoridade de mais alto escalão a ser investigada desde o envolvimento do ex-chefe de segurança interna Zhou Yongkang em um escândalo de corrupção, em julho do ano passado.

A investigação de Ma pode levar a uma reforma no Ministério de Segurança do Estado, uma organização ao estilo da KGB que espiona cidadãos chineses e estrangeiros tanto dentro como fora do país.

Vários homens de Ma também estão sendo interrogados para ajudar na investigação, de acordo com uma fonte ligada à liderança chinesa ouvida pela Reuters. A fonte não deu mais detalhes.

O ministério é um dos órgãos mais fechados do governo chinês e não tem site na Internet ou porta-voz.

A Comissão Central para Inspeção Disciplinar disse que Ma está sob investigação por "suspeita de violações sérias de disciplina e da lei". Na China, a expressão "violações sérias de disciplina e da lei" normalmente significa corrupção.

A comissão não forneceu mais detalhes.

Não ficou claro o que levou à investigação de Ma, que teria comandado programas antiespionagem da China.

O presidente Xi Jinping prometeu combater tanto os "tigres" do alto escalão como as "moscas" em sua campanha contra a corrupção, e ampliar a maior operação contra irregularidades dos últimos anos. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Chinacorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.