Hasan Shaaban/Reuters
Hasan Shaaban/Reuters

Autoridade da área de inteligência morre em ataque em Beirute

Ao menos oito pessoas foram mortas e 78 ficaram feridas na capital do Líbano

estadão.com.br,

19 de outubro de 2012 | 09h28

Texto atualizado às 13h37

BEIRUTE - Uma alta autoridade da área de inteligência do Líbano, Wissam al-Hassan, morreu na ataque que atingiu o centro de Beirute, no Líbano, nesta sexta-feira, 19. Ao menos oito pessoas morreram e 78 ficaram feridas.

Veja também:

documento ACERVO: Há 30 anos, Falange participou dos massacres de Sabra e Chatila

blog VISÃO GLOBAL: Vídeo mostra momentos após explosão em Beirute, no Líbano

blog VISÃO GLOBAL: Confira vídeo de atentado em Beirute 

"Eu só posso dizer que é verdade, ele está morto", afirmou um funcionário, que trabalhava com Al-Hassan.

Veja fotos:

A participação de Al-Hassan foi crucial na recente investigação que desvendou os planos para um ataque a bomba, levando um político libanês aliado do presidente da Síria, Bashar al-Assad, à prisão.

Especula-se que, por isso, a autoridade poderia ser um alvo específico, em um período de elevadas tensões entre facções libanesas, que estão em lados opostos no conflito sírio.

A bomba explodiu no bairro Al Ashrafiya, de maioria cristã - e na rua onde fica localizado o escritório do partido Falange Cristã, que é anti-Assad.

Conflito

A guerra na vizinha Síria, que já matou mais de 30 mil pessoas, colocou a maioria de insurgentes sunitas contra o presidente Bashar al-Assad, que é da seita alauíta, ligada ao islamismo xiita.

O ministro sírio de Informação, Omran al-Zohbi, qualificou o episódio como "um ataque terrorista e covarde, injustificável onde quer que aconteça".

Destruição

Diversos carros ficaram destruídos e a frente de um prédio de vários andares foi destruída. Moradores correram em pânico procurando por parentes, enquanto outros ajudavam a carregar os feridos para as ambulâncias.

Ambulâncias foram enviadas às pressas ao local, enquanto a fumaça podia ser vista subindo da região. A explosão ocorreu durante o horário de pico, quando muitos pais estão buscando seus filhos na escola.

As equipes da Defesa Civil e de Cruz Vermelha também levaram as vítimas aos hospitais da região.

Com agências de notícias

 

  

Tudo o que sabemos sobre:
BeiruteLíbanofiguras públicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.