Kamil Krzaczynski/Reuters
Kamil Krzaczynski/Reuters

Autoridade de aviação dos EUA pede inspeções extras em aeronaves Boeing 777

Medida foi tomada depois que um avião da United Airlines teve uma falha de motor no dia anterior, espalhando destroços em um subúrbio do Colorado

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2021 | 01h01

WASHINGTON - A Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos ordenou no domingo, 21, a realização de inspeções extras em algumas aeronaves de passageiros Boeing 777, depois que uma delas, da United Airlines, teve uma falha de motor no dia anterior, espalhando destroços em um subúrbio do Colorado.

O administrador da agência, Steve Dickson, disse que isso significa que alguns aviões "provavelmente" serão retirados de serviço. "Depois de consultar minha equipe de especialistas em segurança da aviação sobre a falha de ontem no motor de um avião Boeing 777 em Denver, eu os instruí a emitir uma Diretriz de Aeronavegabilidade de Emergência que exige inspeções imediatas ou intensificadas de aviões Boeing 777 equipados com certos motores Pratt & Whitney PW4000", escreveu no Twitter da FAA.

Um vídeo gravado de dentro da aeronave - que tinha 231 passageiros e 10 tripulantes a bordo - mostrou o motor direito em chamas e oscilando na asa do Boeing 777-200, sem cobertura, enquanto ele retornava ao aeroporto de Denver. Os pilotos conseguiram pousar com segurança e não houve feridos no avião ou no solo, segundo as autoridades.

Dickson informou que uma revisão preliminar dos dados de segurança apontou a necessidade de verificações adicionais na hélice do ventilador do motor a jato. Ele acrescentou que funcionários da FAA se reuniram com representantes da Pratt & Whitney e da Boeing no domingo à noite.

O voo UA328 estava indo de Denver para Honolulu quando teve uma falha de motor logo após a decolagem.

Moradores de Broomfield, um subúrbio da cidade, encontraram grandes partes do avião espalhadas pelo bairro, incluindo um fragmento circular gigante de metal que caiu em um quintal./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.