AFP
AFP

Autoridade francesa confirma identidade de atirador de trem

Nome do suspeito é Ayoub El-Khazzani, marroquino de 26 anos, que já era monitorado por autoridades desde o ano passado

O Estado de S. Paulo

22 de agosto de 2015 | 16h37

PARIS - Uma autoridade da França ligada à investigação do ataque a um trem que ia de Amsterdã para Paris confirmou nesta sábado, 22, a identidade do atirador como Ayoub El-Khazzani, um marroquino de 26 anos.

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse, mais cedo no sábado, que o suspeito era monitorado pelas autoridades espanholas desde o ano passado por ligações com movimentos radicais islâmicos e que a Espanha já havia alertado sobre ele em fevereiro de 2014.

El-Khazzani foi indentificado por meio de suas impressões digitais, de acordo com a autoridade, que também informou que o governo francês flagrou o suspeito em Berlim, no dia 10 de maio, viajando para a Turquia e informaram as autoridades espanholas. No dia 21 de maio, a Espanha respondeu que o suspeito já não morava mais no país, mas na Bélgica.

As autoridades da França e da Espanha estão dando informações diferentes sobre o suspeito. Um oficial, ligado à unidade antiterrorismo da Espanha, disse que o indivíduo viveu na Espanha até 2014, depois mudou-se para França, viajou para a Síria, e então retornou para a França. Já Cazeneuve afirmou que El-Khazzani vive na Bélgica em 2015 e não mencionou que o suspeito tenha morado na França.

A autoridade francesa também divulgou que dois telefones celulares foram encontrados na mochila do suspeito e que serão usados na investigação. Além disso, ainda não se sabe se El-Khazzani tem contato ou trabalha com grupos terroristas.

Cazeneuve disse que a violência começou quando um passageiro francês topou com o suspeito, que estava fortemente armado, ao tentar entrar em um banheiro, e o atirador disparou.

Três passageiros norte-americanos e um britânico ajudaram a conter o atirador, de acordo com seus próprios relatos. Duas pessoas ficaram feridas - um dos norte-americanos que intervieram, e outro passageiro, um cidadão de dupla cidadania, franco-americano, que foi atingido por um tiro, segundo Cazeneuve. /DOW JONES NEWSWIRES s ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.