Saad Al-Jabri/Reuters
Saad Al-Jabri/Reuters

Autoridade islâmica sunita da Síria pede que rebeldes negociem a paz

Grão Mufti Ahmed Hassun Badredin é ligado ao governo de Assad e pede 'mudança através do diálogo'

AE, Agência Estado

19 de dezembro de 2012 | 19h30

DAMASCO - A maior autoridade islâmica sunita na Síria, o grão mufti Ahmed Hassun Badredin, fez um apelo nesta quarta-feira para que a oposição síria negocie com o governo "uma mudança de regime através do diálogo, não da força".

O apelo de Badredin, ligado ao governo do presidente Bashar Assad, foi publicado pela agência de notícias Sana. Assad é da minoria alauíta, um ramo do Islã xiita do qual 12% dos sírios fazem parte. A maioria dos rebeldes, bem como da população síria, é muçulmano sunita.

Badredin pediu aos insurgentes que "abaixem as armas" e comecem um diálogo com o governo, reporta a agência France Presse (AFP). Os comentários de Badredin foram feitos dois dias após o vice-presidente sírio Faruk al-Shara, também sunita, ter defendido uma solução negociada para a guerra civil. "Nenhuma oposição pode acabar com essa batalha militarmente, assim como o exército e as forças de segurança não podem obter uma vitória decisiva", disse al-Shara.

As informações são da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.