Autoridade médica se coloca sob quarentena da Libéria

A diretora médica da Libéria se colocou sob quarentena por 21 dias, após uma assistente de escritório morrer de ebola. A vice-ministra da saúde Bernice Dahn, que representou a Libéria em conferências regionais destinadas a combater a epidemia, disse à Associated Press no sábado que ela não tem quaisquer sintomas da doença, mas quer garantir que não está infectada.

AE, Estadão Conteúdo

27 de setembro de 2014 | 12h33

A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que 21 dias é o período máximo de incubação para o ebola, que já matou mais de 3.000 pessoas em toda a África Ocidental e está atingindo duramente a Libéria. Segundo números divulgados na sexta-feira pela OMS, 150 pessoas morreram no país em apenas dois dias. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Libériaebola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.