Autoridades alemãs dizem que brotos de feijão deram origem a surto de E.coli

Apesar de testes negativos, oficiais dizem que propagação da doença indica que ela começou em fazenda no nordeste do país.

BBC Brasil, BBC

10 de junho de 2011 | 10h24

O diretor do centro de controle de doenças da Alemanha, Reinhard Burger, afirmou nesta sexta-feira que brotos de feijão produzidos no país são a fonte da bactéria E.coli, causadora de um surto de infecções no país.

Segundo Burger, nenhum dos testes em brotos de feijão alemães registraram a presença de E.coli. No entanto, a investigação epidemiológica do padrão do surto teria fornecido provas suficientes para concluir que os brotos são responsáveis pela contaminação.

"São os brotos de feijão", disse Burger durante uma coletiva de imprensa. "Pessoas que comeram os brotos tinham nove vezes mais chances de ter diarreia com sangue do que as que não comeram."

As autoridades alemãs de saúde inicialmente apontaram para pepinos importados da Espanha como prováveis responsáveis pelo surto de infecções que matou 29 pessoas. A suspeita gerou uma crise no mercado de produtores de legumes e verduras em toda a Europa.

O Instituto Robert Koch suspenderá o alerta contra o consumo de pepinos, alface e tomates, mas manterá uma recomendação contra os brotos de feijão.

Cerca de 3 mil pessoas ficaram doentes durante o surto alemão de E.coli, que envolve uma variedade até então desconhecida da bactéria.

As pessoas contaminadas podem desenvolver Síndrome Hemolítico-Urêmica (SHU), que acontece quando a bactéria ataca os rins e o sistema nervoso.

'Pista quente'

Segundo Burger, acredita-se que a origem da contaminação seja a fazenda Bienenbuettel, uma pequena produtora orgânica no Estado da Baixa Saxônia, no nordeste do país, que começou a ser considerada suspeita durante o último fim de semana.

"As conexões estão ficando mais claras - é uma pista quente", disse.

Ele disse que a maioria dos brotos contaminados devem ter sido consumidos ou jogados fora, mas afirmou que a crise ainda não chegou ao fim e que mais casos devem aparecer.

O ministro da Agricultura da Baixa Saxônia, Gert Lindemann, disse no início desta semana que especialistas não haviam encontrado vestígios da bactéria na fazenda Bienenbuettel, mas não negou que a fazenda pudesse ser a origem da contaminação.

Mas em uma entrevista para a revista alemã Focus, Lindemann afirmou que cerca de 60 pessoas que ficaram doentes haviam comido os brotos de feijão produzidos na fazenda, que emprega 15 pessoas.

Segundo ele, a contaminação pode ter sido causada por sementes contaminadas ou "falta de higiene".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.