Elaine Thompson / AP
Elaine Thompson / AP

Facebook bloqueia mais de cem contas suspeitas; autoridades alertam para possível interferência

Ao menos 30 usuários em sua plataforma e outros 85 no Instagram foram suspensos por preocupações de que pudessem influenciar na votação; entre possíveis ações estão a difusão de informações falsas da eleição ou dos candidatos e propaganda nas redes sociais

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2018 | 06h45
Atualizado 06 Novembro 2018 | 13h14

WASHINGTON - Secretários e chefes de agências de inteligência dos Estados Unidos alertaram sobre a possibilidade de ingerência externa nas eleições legislativas, que serão disputadas nesta terça-feira, 6.

"Os americanos devem ter consciência de que atores estrangeiros - a Rússia em particular - continuam tentando influenciar a opinião pública e o sentimento dos eleitores por meio de ações destinadas a semear a discórdia". O texto é firmado pelos secretários de Segurança Nacional e Justiça, Kirstjen Nielsen e Jeff Sessions, pelo diretor de Inteligência, Dan Coats, e pelo chefe do FBI, Christopher Wray.

Entre as possíveis ingerências estão a difusão de informações falsas sobre o processo eleitoral ou os candidatos e propaganda nas redes sociais.

"No momento não temos indícios de que a infraestrutura de eleição da nossa nação esteja comprometida com o propósito de evitar a votação, alterar a apuração ou perturbar a capacidade de contagem dos votos”, disseram em um comunicado.

"Os EUA não tolerarão interferência em suas eleições por parte da Rússia, China, Irã ou outras nações", adverte o documento, lembrando que tais países foram qualificados como "ameaça" à democracia americana em outubro.

Segundo a comunidade de Inteligência, Moscou realizou uma ampla operação para influenciar a eleição presidencial de 2016 a favor do Donald Trump, em particular por meio do uso das redes sociais e da difusão de notícias falsas. A Justiça federal dos EUA continua investigando se houve conluio entre Moscou e a equipe de campanha do magnata.

Facebook bloqueia contas

Na segunda-feira, o Facebook informou que bloqueou 30 contas em sua plataforma e outras 85 no Instagram por preocupações de que elas pudessem estar vinculadas a entidades estrangeiras e destinadas a interferir nas eleições americanas.

Um estudo publicado na semana passada apontou que a desinformação nas redes sociais desta vez estava ainda maior do que a registrada durante a campanha presidencial de 2016. “No domingo, agentes dos EUA nos alertaram sobre as atividades virtuais que haviam descoberto recentemente, e acreditavam que elas podiam estar vinculadas a entidades estrangeiras”, disse o Facebook.

“Nossa prematura investigação identificou cerca de 30 contas no Facebook e 85 no Instagram que poderiam estar envolvidas em um comportamento coordenado indevido. Bloqueamos imediatamente essas contas”, afirmou a rede social, acrescentando que todos os perfis em questão estavam em francês ou russo. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.