EFE/Stephanie Lecocq
EFE/Stephanie Lecocq

Autoridades belgas esvaziam prefeitura em Bruxelas após recebimento de carta suspeita

Segundo veículos de imprensa locais, documento continha um pó branco e ameaças ao prefeito do distrito de Saint-Josse

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2016 | 13h52

BRUXELAS - As autoridades da Bélgica esvaziaram parcialmente a prefeitura do distrito de Saint-Josse, em Bruxelas, depois que o prefeito Emir Kir recebeu uma carta de ameaça contendo um pó branco, informaram nesta sexta-feira, 5, veículos de imprensa locais.

Unidades especiais de descontaminação e equipes da Polícia, dos bombeiros e do serviço de ambulâncias foram para a região de Madou, onde foi ativado o protocolo de descontaminação por medo de que o pó branco pudesse ser antraz. Também está no local um laboratório de Defesa Civil para analisar a substância.

A região do prédio onde a carta foi aberta ficou sob quarentena, depois que o primeiro alarme foi acionado.

Um porta-voz dos bombeiros confirmou que 13 pessoas foram hospitalizadas, sendo 5 por contato direto com o pó e 8 por contato indireto. Todas elas serão submetidas a exames médicos e receberão tratamentos de prevenção no hospital.

No entanto, o representante dos bombeiros ressaltou que ainda não foram feitas análises da substância e não se pôde constatar se se trata de antraz ou de outra substância.

De acordo com a mesma fonte, as estâncias da prefeitura pelas quais a carta havia passado já tinham sido descontaminadas e os próprios bombeiros estavam se submetendo aos trabalhos de limpeza. O perímetro de segurança seria desfeito assim que os trabalhos de descontaminação da equipe de bombeiros terminassem.

Um porta-voz da prefeitura afirmou que a porteira do edifício havia sofrido um ataque de pânico. Na carta, escrita à mão, o autor convida Kir, nascido na Bélgica e de origem turca, a deixar o país. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Bélgica Bruxelas Contaminação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.