Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Giorgio Viera/EFE
Giorgio Viera/EFE

Autoridades confirmam mais duas mortes em desabamento na Flórida; número de vítimas chega a 24

Mais de cem pessoas permanecem desaparecidas; parte da estrutura que sobreviveu ao colapso deve ser demolida

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2021 | 13h04

SURFSIDE, EUA - Autoridades locais confirmaram na manha deste sábado, 3, mais duas mortes causadas pelo desabamento de um condomínio em Surfside, na Flórida. Com elas, o número total de vítimas até o momento sobe para 24. De acordo com as autoridades, 124 pessoas permanecem desaparecidas.

Desafiados pelo calor, socorristas da Flórida, apoiados por equipes de Israel e do México, vasculhavam os escombros dos 55 apartamentos. Na quinta-feira, um socorrista encontrou o corpo da própria filha, de 7 anos, entre os escombros.

A tragédia ocorreu em 24 de junho. As causas ainda estão sendo apuradas, mas o edifício ruiu poucos dias antes de um prazo para os proprietários dos apartamentos começarem a fazer pagamentos elevados, com valor total superior a US$ 9 milhões em reparações que tinham sido recomendadas quase três anos antes, num relatório que alertava para "grandes danos estruturais".

Na noite de sexta-feira, a cidade de North Miami Beach, no condado de Miami-Dade, ordenou o esvaziamento imediato de um prédio ao norte do condomínio que colapsou em Surfside, depois que as autoridades disseram que a estrutura foi considerada "estrutural e eletricamente insegura" em meio a uma revisão urgente em toda a cidade.

"É a coisa certa a se fazer nesses tempos", disse o gerente da cidade, Arthur Sorey III, a repórteres, enquanto as pessoas saíam do prédio a cerca de 20 minutos de carro das ruínas do condomínio Champlain Towers South, onde equipes de resgate procuram vítimas e sobreviventes.

Demolição

 A prefeita de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, autorizou a demolição da parte do edifício que ficou de pé. Neste sábado, um bombeiro informou a parentes de pessoas desaparecidas que a ação acontecerá neste domingo, 4, pela manhã. Ele alertou, no entanto, que pode haver alterações nos planos. Uma reunião de acompanhamento será realizada na tarde deste sábado para decidir os detalhes da demolição. /REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.