Autoridades da Coreia do Sul e do Norte reuném-se em busca de aliviar tensões

Os principais assessores dos líderes da Coreia do Norte e do Sul reuniram-se neste sábado na aldeia de Panmunjom, na fronteira entre os páises, aumentando as esperanças de colocar um fim ao enfrentamento que colocou as duas nações à beira de um conflito armado.

JU-MIN PARK E JACK KIM, REUTERS

22 de agosto de 2015 | 09h45

    A reunião na Zona Desmilitarizada (DMZ, na sigla em inglês) da vila ocorreu uma hora e meia depois que a Coreia do Norte deu um ultimato que pedia que Seul parasse com sua propaganda em alto-falantes na fronteira ou enfrentaria uma ação militar.

    Esse prazo expirou sem qualquer incidente relatado.

    A tensão na península coreana aumentou depois de uma troca de tiros na quinta-feira, gerando pedidos de calma das Nações Unidas, Estados Unidos e China, o maior aliado de Pyongyang.

Os militares da Coreia do Sul mantiveram-se em alto alerta, apesar das negociações, disse um funcionário da Defesa.

    O assessor de segurança nacional da presidente sulcoreana Park Geun-hye e seu ministro da unificação reuniram-se com Hwang Pyong Assim, o principal assessor militar do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, e um funcionário sênior que lida com assuntos intercoreanos pela manhã em Seul.

    "O Sul e o Norte concordaram em realizar contatos relacionados com a situação em curso nas relações Sul-Norte", disse Kim Kyou-hyun, vice-conselheiro de segurança nacional do de Seul.

    

(Reportagem adicional de Sohee Kim e James Pearson em Seul e David Brunnstrom em Washington)

Tudo o que sabemos sobre:
COREIASREUNIAOTENSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.