Rick Wilking / Reuters
Rick Wilking / Reuters

Autoridades do Colorado querem demolir escola de Columbine que foi palco de massacre em 1999

Para o superintendente dos colégios do condado de Jefferson, prédio se tornou ‘uma grande fonte de inspiração’ para as pessoas com interesses sombrios no ataque

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2019 | 10h40

DENVER, EUA - Autoridades de uma comunidade do Colorado, nos Estados Unidos, estão cogitando demolir a Columbine High School e reconstruí-la em uma área próxima. O local foi palco de um massacre em 1999 que deixou 12 estudantes e um professor mortos, além dos dois autores da ação, que se suicidaram.

Leia também: Com arma da família e alvo definido: o perfil dos ataques a escolas nos EUA 

Em uma carta divulgada na quinta-feira, 6, o superintendente das escolas do condado de Jefferson, Jason Glass, disse que o prédio do colégio se tornou "uma fonte de inspiração" para as pessoas com interesses sombrios no ataque.

Em abril, uma adolescente da Flórida - a qual as autoridades descreviam como uma pessoa obcecada pela tragédia e que poderia estar planejando um ataque no Colorado - foi encontrada morta em um aparente suicídio.

O distrito também lançou uma pesquisa na internet para avaliar o apoio da comunidade com relação a um projeto que prevê destinar de US$ 60 milhões a US$ 70 milhões para a construção da nova Columbine.

Dentre as ideias preliminares está a de preservar a biblioteca construída após o massacre e incorporá-la ao novo prédio da instituição. 

Segundo Glass, o número de pessoas que tentam entrar na escola ou ultrapassar os limites do terreno do local aumentou a um nível recorde em 2019, ano em que o massacre completou 20 anos. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.