Chris Meyers/Reuters
Chris Meyers/Reuters

Autoridades do Japão interrogam manifestantes deportados de ilha

Ação de ativistas aumentou tensão entre o país e a China, que reivindica disputado território

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2012 | 09h46

TÓQUIO - Autoridades do Japão interrogaram nesta segunda-feira, 20, os 10 manifestantes, incluindo cinco parlamentares, que chegaram ao local no domingo. Ativistas japoneses desembarcaram sem autorização na ilha que é o centro de uma disputa com a China e provocaram manifestações de nacionalistas de ambos os lados, que pedem mais agressividade de seus governos.

Veja também:

linkChineses vão às ruas em protesto sobre ilhas

linkJapão deporta ativistas chineses na tentativa de aliviar tensões

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Pequim protestou contra o desembarque, que provocou protestos em diversas cidades chinesas. A ilha é parte do arquipélago chamado Senkaku em japonês e Diaoyu em chinês. Na semana passada, o Japão extraditou um grupo de chineses que foram presos na ilha.

O chefe de gabinete do governo japonês, Osamu Fujimura, chamou o desembarque de "lamentável", já que foi feito sem autorização. Acusações criminais não são esperadas.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoChinadisputailhas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.