Autoridades do Japão recomendam retirada após terremoto

Cerca de 37 mil moradores das áreas litorâneas de Hokkaido receberam a recomendação oficial de abandonar a região, que pode ser atingida por um tsunami após o terremoto de magnitude 8,3 que afetou a ilha, no norte do Japão.Duas localidades na província de Iwate, no norte de Honshu, a ilha principal do arquipélago, e 22 em Hokkaido receberam ordem de remoção imediata para as áreas altas.Entre as cidades de Hokkaido em alerta estão Kushiro, Wakania, Hamanaka, Kushiro, Betsukai, Shibetsu e Kintami.Nas praias da localidade de Nemuro o nível do mar baixou 10centímetros, o que pode ser um sinal de que grandes ondas estão a caminho.Ondas de um metro de altura já chegaram a algumas partes dolitoral. Segundo as autoridades, as próximas poderão ser ainda maiores, dependendo da morfologia da costa.Um especialista da universidade de Tóquio citado pela rede de TV estatal "NHK" alertou que o risco de tsunami será mantido durante várias horas devido à alta magnitude do terremoto deste sábado. Ele foi semelhante ao de 1 setembro de 1923, que arrasou a capital japonesa e matou 142 mil pessoas.A "NHK" cancelou toda a sua programação normal e emiteconstantemente alertas com mapas em japonês e inglês. Até o momento não há informações sobre danos ou feridos pelo terremoto.Alerta dos EUAO Centro de Alerta de Tsunamis dos EUA no Pacífico cancelou os alertas e os avisos de vigilância de ondas gigantes que tinha emitido após o terremoto desta madrugada ao nordeste do Pacífico."O nível do mar indica a formação de um tsunami", mas "não foram registradas grandes ondas depois de duas horas do momento previsto para sua chegada" e portanto "as autoridades locais podem considerar que a ameaça terminou", informa o site da agência meteorológica, em seu último boletim.O centro tinha emitido alertas de tsunami no Japão e Rússia, além de avisos de vigilância para Taiwan, Filipinas, Guam, Havaí e algumas das ilhas Aleutas, no Alasca, entre outras regiões do Pacífico.O Ministério de Situações de Emergência da Rússia também suspendeu o alerta de tsunami nas ilhas Curilas, próximas ao epicentro do terremoto."A ameaça de tsunami já passou. A população foi alertada, mas o risco não existe mais e todos já foram informados", disse um porta-voz do Ministério, citado pela agência de notícias Interfax.Segundo a agência oficial "Itar-Tass", os moradores das localidades de Severo-Kurilsk, Burevestnik e Yuzhno-Kurilsk, que foram removidos durante o período de alerta, começaram a retornar a suas casas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.