Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Autoridades espanholas temem atentado terrorista do ETA

As autoridades espanholas estão em estado de "alerta máximo" com a suspeita de que o grupo terrorista ETA está pronto para "agir", afirmou nesta quinta-feira, 29, o secretário do Interior do governo regional do País Basco, Javier Balza.Em declarações no Parlamento basco, Balza afirmou que falou com o ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, sobre a desarticulação de um comando do grupo separatista e sobre as detenções de membros da organização.O secretário basco explicou que há muito indícios para se pensar em um "atentado iminente", está claro que o ETA "planeja reconstruir seus comandos e agir", disse.Na última quarta-feira, 28, a Guarda Civil espanhola deteve sete pessoas em uma operação realizada para desarticular o comando Donosti, um dos braços mais ativos da organização separatista ETA. Com eles, foram encontrados 30 quilos de explosivos e detonadores.Balza sugeriu que o ETA poderia estar remontando seus comandos em outras regiões, já que seria "ilógico" pensar que a polícia teria conseguido desmantelar todos os grupos.Boicote à pazO ETA cometeu seu último atentado no último dia 30 de dezembro, quando um carro-bomba explodiu no estacionamento do aeroporto de Madri, matando dois equatorianos e ferindo outra dezena de pessoas.A bomba colocada em um automóvel foi tão forte que derrubou o estacionamento de cinco andares no Terminal 4 do Aeroporto de Barajas. De acordo com autoridades, o ETA fez três alertas para a bomba antes da explosão.O ataque pôs fim aos diálogos de paz entre o grupo e o governo espanhol, que suspendeu um cessar-fogo permanente anunciado nove meses antes.Após os atentados, o governo do primeiro-ministro espanhol, José Luíz Rodríguez Zapatero, havia sido criticado por apenas suspender - em vez de interromper - o processo de paz.O grupo separatista já assassinou mais de 850 pessoas desde 1968, na busca por um Estado basco independente e socialista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.