Autoridades europeias e americanas alertaram para risco no espaço aéreo ucraniano

Comunicado de abril, com vigência de um ano, pede a companhias e pilotos que evitem região de conflito no país

O Estado de S. Paulo , O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2014 | 15h18

WASHINGTON - Autoridades de segurança da aviação nos Estados Unidos e na Europa alertaram pilotos, em abril, sobre os potenciais riscos de se voar no ou próximo do espaço aéreo da Ucrânia. onde um avião da companhia Malaysia Airliners caiu nesta quinta-feira, 17. 

A Administração Federal de Aviação dos EUA, no dia 23 de abril, emitiu um "comunicado extraordinário" para os aviadores e transportadoras aéreas americanas para que não voassem no espaço aéreo ucraniano sobre a cidade de Simferopol, na Crimeia - região que separou-se da Ucrânia em março para anexar-se à Rússia - sem a aprovação do governo americano. 

O comunicado também alertou operadores de voo e pilotos para outras partes da Ucrânia, incluindo Kiev, Lvov, Dnepropetrovsk e Odessa e diziam para "ter cuidado ao extremo devido ao contínuo potencial de instabilidade" na região. O alerta tem efeito até 23 de abril de 2015. 

Agências de aviação internacional em abril também alertaram pilotos e companhias aéreas para evitar o espaço aéreo de Simfeopol. Organizações como a Agência de Segurança da Aviação Europeia e a Agência de Aviação Civil das Nações Unidas alertaram que as companhias poderiam se deparar com "sérios riscos" nessa região e as aconselharam a traçarem rotas alternativas. / REUTERS   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.