Autoridades haitianas elevam para 1.648 as mortes pela epidemia de cólera

Ministério da Saúde Pública e População estimou que 72.017 foram atendidos nos centros médicos

Efe

26 de novembro de 2010 | 18h06

 

 

PORTO PRÍNCIPE - O número de mortos no Haiti por causa da epidemia de cólera desde meados de outubro chegou a 1.648, segundo os últimos dados fornecidos nesta sexta-feira, 26, pelo Ministério da Saúde Pública e População (MSPP).

 

Veja também:  

linkPaís recebe 39 toneladas de ajuda espanhola para combater surto

linkEntre cólera e eleições, haitianos aguardam futuro

Em relatório da última quarta-feira, o ministério informa que 72.017 pessoas contaminadas foram atendidas em hospitais do país. O departamento de Artibonite (norte) é o que mais sofreu desde o início do surto, com 754 mortos; seguido pelo Norte, com 264; pelo Oeste, com 269 (146 deles na capital, Porto Príncipe); pelo Centro, com 167; pelo Noroeste, com 154; pelo Nordeste, com 23; pelo Sul, com 12; por Grand Ansem, com 3; e pelo Sudeste, com 2.

 

A origem da epidemia no Haiti continua desconhecida, embora testes realizados pelos Centros de Prevenção e Controle de doenças (CDC), em Atlanta (EUA), indiquem que ela pode ter sido provocada por uma cepa igual a uma encontrada na Ásia Meridional.

 

Setores políticos e sociais do país acusam soldados do Nepal da Missão da ONU para a Estabilização do Haiti (Minustah) pela origem do surto, pois eles teriam contaminado um afluente do rio Artibonite em sua passagem por Mirebalais, no leste do território.

 

Tudo o que sabemos sobre:
cóleraHaiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.