EFE/EPA/Mikael Fritzon
EFE/EPA/Mikael Fritzon

Autoridades investigam motivação terrorista em ataque com arma branca na Suécia

Polícia aponta afegão de 22 anos como autor do ataque; sete pessoas ficaram feridas e três correm risco de morte, segundo hospital

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2021 | 08h12

Sete pessoas ficaram feridas, três delas em estado gravíssimo, durante um ataque com arma branca na pequena cidade de Vetlanda, na Suécia. A polícia prendeu um afegão de 22 anos, apontado como autor do ataque. A suspeita é de que o ato teve motivação terrorista.

Relatos da imprensa sueca divergem sobre o objeto utilizado pelo agressor. A maioria dos relatos fala em uma faca, mas também foi relatado o uso de um machado. Em entrevista à agência de notícias francesa AFP, o porta-voz da polícia, Kristian Ljungberg, disse apenas que o agressor tinha uma "arma cortante" nas mãos no momento do ataque, que aconteceu na tarde de quarta-feira, 3. Ainda de acordo com a polícia sueca, cinco locais foram isolados para perícia.

O hospital que recebeu os feridos no ataque confirmou que três das vítimas correm risco de morte. Outras duas pessoas sofreram ferimentos graves, enquanto o estado dos outros dois classificado como moderado. Também está internado no hospital o autor do ataque, que foi baleado na perna pela polícia. No momento, ele não tem condições de ser interrogado.

A polícia apontou que o autor do ataque é um jovem afegão de 22 anos. Ele teria chegado ao país em 2018, de acordo com a imprensa sueca. O suspeito morava há vários meses em Vetlanda, pequena cidade de 13 mil habitantes no sul do país.

Uma operação foi montada nesta quinta-feira, 4, para entrar no apartamento do suspeito. O diário Dagens Nyheter e o canal de notícias TV4 relataram que os policiais deixaram o local com evidências e após conversar com vizinhos. Apesar de não identificarem o suspeito, os policiais confirmaram que ele era conhecido por crimes menores. Não há indícios de que mais alguém estivesse envolvido, disse a polícia.

O ministro do Interior da Suécia, Mikael Damberg, disse à emissora SVT, nesta quinta, que o caso estava sendo investigado como tentativa de homicídio, mas todos os aspectos seriam considerados, incluindo se foi um ataque terrorista. "É óbvio que você olha se há motivos terroristas por trás disso, você tem que ir ao fundo", disse.

"Há detalhes da investigação que nos fazem trabalhar em possíveis motivações terroristas. Mas não posso especificar do que se trata", declarou Malena Grant, chefe da Polícia da região de Jönköping.

A Suécia sofreu dois ataques nos últimos anos. Em 2017, um requerente de asilo uzbeque que teve seu pedido rejeitado matou cinco pessoas ao atropelá-las com um caminhão roubado em Estocolmo. Ele foi condenado à prisão perpétua em junho de 2018. Em dezembro de 2010, um homem tentou um ataque suicida com bomba também na capital, mas causou apenas feridos sem gravidade./ AFP, AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.