AP Photo/Sackchai Lalit
AP Photo/Sackchai Lalit

Autoridades investigam pista de possível autor de atentado em Bangcoc

O suspeito foi gravado por uma câmera de segurança pouco antes das explosões próximo ao local do acidente; imagens mostram que ele carregava um pacote nas mãos

O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 08h19

BANGCOC (atualizada às 11h30) - Autoridades tailandesas investigam a pista de um individuo como possível autor do atentado terrorista que matou 22 pessoas ontem no centro de Bangcoc, informou nesta terça-feira, 18, o canal de televisão PBS.

O suspeito, de etnia asiática, foi gravado por uma câmera de segurança pouco antes das duas explosões na intersecção de Ratchaprasong, que se localiza próxima a um templo hindu e budista, e está rodeada de hotéis e comércios.

Nas imagens gravadas, o suspeito aparece vestindo uma camiseta amarela e se aproxima do local da explosão com um pacote nas mãos.

O primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha afirmou que esse foi “o pior incidente que já aconteceu na Tailândia” e prometeu encontrar os responsáveis. “Eles querem destruir nossa economia e nosso turismo”, disse.

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Philip Hammond, confirmou hoje que entre as vítimas do ataque está uma mulher britânica. "Posso confirmar que uma cidadã britânica moradora de Hong Kong perdeu a vida no atentado de ontem. A embaixada da Grã-Bretanha na Tailândia está dando assistência à família nesse momento tão difícil", disse.

Chan-ocha ainda afirmou que é possível que o suspeito pertença a um "grupo de oposição ao governo localizado no noroeste do país". A região é o reduto do movimento conhecido como "Camisas Vermelhas", formado por partidários do antigo governo, que foi derrotado por um golpe de Estado em maio de 2014, após meses de protestos populares.

A televisão estatal publicou em seu site que fontes de segurança não descartam que o atentado tenha ocorrido em razão de "uma vingança por uma recente operação das autoridades", em alusão ao envio de uma centena de muçulmanos uigures à China em julho.

Dois chineses e um filipino estão entre vítimas estrangeiras que morreram no atentado. Segundo fontes diplomáticas, a maioria dos feridos estrangeiros são de nacionalidade chinesa.

O ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra e líder do Phuea Thai, partido deposto no último golpe, apressou-se ontem a condenar os atentados de seu exílio em Dubai. Thaksin expressou também suas condolências às vítimas em mensagens postadas em sua conta no Twitter.

Outra explosão. Uma bomba de fabricação caseira explodiu hoje perto de um estacionamento de lanchas em Bangcoc, segundo o sargento da polícia Worapong Boonthawee. Imagens de vídeo postadas por usuários do Twitter mostram que o artefato caiu na água sem deixar vítimas.

O incidente aconteceu na popular ponte Taksin sobre o rio Chaopraya, que atravessa a cidade. As lanchas de transporte público são utilizadas tanto por cidadãos tailandeses como turistas estrangeiros. /EFE e ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
explosãoataque terroristaTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.