Autoridades investigam tumulto que matou 145 na Índia

Autoridades indianas pediram hoje que sejam investigados os problemas na organização de uma peregrinação religiosa ao templo de Naina Devi, no distrito de Bilaspur, Estado de Himachal Pradesh. Pelo menos 145 pessoas morreram e 37 ficaram feridas ontem após um tumulto iniciado em meio a rumores de que teria ocorrido um deslizamento de pedras de uma parede próxima ao santuário. Enquanto isso, as famílias das vítimas começaram hoje a sepultar os mortos na tragédia.Cerca de 25 mil fiéis subiam ontem o caminho estreito que leva ao templo entoando cantos hindus quando começou um corre-corre. A multidão em pânico começou a correr. Mulheres, crianças, idosos e muitas outras pessoas acabaram pisoteadas. "Havia mulheres e crianças gritando e pedindo ajuda, e eu vi algumas pessoas caindo morro abaixo", contou o peregrino Dev Swarup, de 48 anos, com a voz embargada.De acordo com autoridades locais, o fluxo de peregrinos aumentou durante o fim de semana, sobrecarregando as equipes de segurança. Centenas de fiéis retornaram ao templo hoje. Os peregrinos podem subir somente em pequenos grupos, guiados por voluntários. As mulheres levam os filhos bem próximos do corpo - no tumulto de ontem, dezenas de crianças e mulheres morreram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.