Autoridades iraquianas reagem a imagens de abusos

As reações a fita vídeo em que soldados britânicos aparecem espancando cidadãos iraquianos ganharam força nesta terça-feira no Iraque. Em retaliação aos abusos, a administração regional de Basra cortou todas as relações com autoridades britânicas no país.O chefe da polícia de Basra, major general Hassan Suwadi, informou que as forças de segurança iraquianas irão cancelar as patrulhas em conjunto com o exército britânico pela província. Segundo o porta-voz do exército britânico, capitão James St. John-Price, as autoridades britânicas estão tentando convencer a administração local a reverter a decisão.Em Amarah, iraquianos que alegam ser as vítimas do vídeo disseram que eles irão tentar uma indenização da Inglaterra. Os espancamentos ocorreram durante um protesto violento em Amarah, quando milhares de pessoas exigiam seus empregos de volta. Seis pessoas foram mortas e 11 ficaram feridas, de acordo com os relatórios. Um dos rapazes disse não ter dado queixa por não acreditar que a reclamação poderia surtir efeito.Em outro caso, o conselho de Basra exigiu a retirada de 530 membros do contingente militar da Dinamarca no sudeste do Iraque. O pedido é um esforço para que o governo dinamarquês peça desculpas pelas caricaturas de Maomé. O ministro da defesa da Dinamarca, Soeren Gade, rejeitou as exigências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.