Autoridades negam clone de criança para curar irmão doente

As autoridades britânicas rechaçaram o pedido de um casal para gerar uma criança que seja a "cópia" de seu primogênito, que sofre de uma rara doença no sangue. Jayson e Michelle Whitaker queriam que os médicos fizessem uma clonagem de Charlie, seu filho de dois anos, para poder usar sua medula com o propósito de curar o maior. O casal disse hoje estar "devastado" com a notícia, e que tentará buscar uma solução para o problema nos Estados Unidos. Charlie sofre de uma rara forma de anemia, chamada Diamond Blackfan Anemia (DBA), que o impede de produzir glóbulos vermelhos em quantidade suficiente. Por este motivo, o menino deve se submeter a freqüentes transfusões e tomar medicamentos diariamente para sobreviver. Um transplante de medula procedente de um organismo "copiado" poderia resolver o problema, mas as autoridades disseram que tal solução não pode ser adotada por tratar-se de uma medida aética e contrária às normas da entidade governamental responsável por embriologia e fertilização humana. "Todos nós sentimos uma enorme pena por Charlie e por seus pais, mas não podemos aprovar a autorização", afirmou um porta-voz da entidade. O casal pediu autorização para que o médico de Charlie, Mohammed Terranissi, examinasse os embriões utilizando um procedimento chamado "diagnóstico genético de pré-implante" (PGD, por sua sigla em inglês), utilizado habitualmente em casais com desordens genéticas. Através do PDG, os médicos podem examinar os embriões para se assegurarem de que o selecionado para ser implantado no útero materno não sofra de uma doença qualquer. No caso dos Whitaker, esta desordem é "esporádica", o que reduziria drasticamente a probabilidade de uma criança nascer com a mesma doença de Charlie. Só que o casal solicitou autorização para que o médico pudesse selecionar os embriões de modo a se assegurar de que o novo bebê não apenas fosse sadio, mas também uma cópia geneticamente exata de seu irmão já nascido. As autoridades negaram o pedido por se tratar de uma duplicação de um ser com o único objetivo de curar outro ser.

Agencia Estado,

02 Agosto 2002 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.