Autoridades palestinas admitem piora de Arafat

Autoridades palestinas afirmaram que Yasser Arafat perdeu a consciência várias vezes nas últimas horas. Mas essas fontes não confirmaram que o líder, de 75 anos, entrou em coma, conforme informou a agência de notícias Reuters. Arafat foi transferido ontem, para a unidade de tratamento intensivo (UTI) do Hospital militar de Percy, nos arredores de Paris, onde está internado desde a semana passada.Diante da deterioração do estado de saúde de Arafat, os chefes do serviço de segurança de Israel reuniram-se nessa manhã. Israel está preparando planos de contingência para o caso de uma eventual morte de Arafat, incluindo como lidar com eventuais protestos e possíveis tentativas de os palestinos quererem enterrá-lo em Jerusalém.Já a imprensa israelense, citando autoridades israelenses e palestinas, diz que Arafat sofreu falência de órgãos, mas o ministro do Gabinete palestino, Saeb Erkat, negou a informação.OLPLíderes do Comitê Central do Al-Fatah e do Comitê Executivo da Organização para Libertação da Palestina convocaram reunião, em caráter de emergência, em Ramallah, diante de informações da piora do estado de saúde do presidente da OLP. O secretário-geral do Comitê Executivo da OLP e primeiro-ministro, Mahmoud Abbas ou Abu Mazen, deve viajar dos Emirados Árabes para Paris.Mercado reageO euro subiu ante o dólar com informações sobre o agravamento do estado de saúde do líder palestino Yasser Arafat, movimento sustentado por investidores do Oriente Médio. Traders dizem que as compras refletem temor de vácuo no poder na Palestina e potencial acirramento do conflito com Israel. Embora o dólar tenham sido pressionado em relação ao euro, alguns especialistas dizem que a moeda norte-americana pode ser beneficiada por eventual mudança na liderança palestina, a qual, apostam, poderá ser mais moderada, diminuindo a tensão no Oriente Médio. Às 9h19 (de Brasília), o euro subia para US$ 1,2858, de US$ 1,2820 ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.