REUTERS/Guillermo Martinez
REUTERS/Guillermo Martinez

Autoridades portuguesas declaram 'extinto' o incêndio de Góis

Apesar de já não haver risco de reativações, as autoridades vão continuar no terreno para efetuar trabalhos de vigilância

O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2017 | 11h17

LISBOA - As autoridades portuguesas declararam "extinto" neste sábado o incêndio de Góis, o último foco a ser dominado da grande tragédia que arrasou na última semana o centro do país, informou o comandante de Defesa Civil, Carlos Tavares.

O incêndio de Pedrógão Grande, 40 quilômetros mais ao sul e no qual morreram 64 pessoas, ainda não foi dado como extinto.

Tavares informou à imprensa que o incêndio em Góis foi declarado extinto e, apesar de já não haver risco de reativações, as autoridades vão continuar no terreno para efetuar trabalhos de vigilância.

O incêndio em Góis, que se iniciou no sábado passado e afetou também os municípios vizinhos de Pampilhosa da Serra e Arganil, foi controlado na primeira hora da manhã de quinta-feira.

Na tarde de quarta-feira já tinha sido dominado o incêndio na vila de Pedrógão Grande, também iniciado no sábado.

Estes dois incêndios deixaram, em seu conjunto, mais de 250 feridos entre civis e bombeiros.

O secretário de Estado de Administração Interna de Portugal, Jorge Gomes, disse na quinta-feira que o incêndio de Pedrógão Grande poderia ser dado como extinto na sexta-feira ou neste sábado se as condições meteorológicas permitissem. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
PortugalIncêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.