Autoridades russas negociam com terroristas em escola

O chefe do Serviço Federal de Segurança russo na Ossétia do Norte, Valery Andreyev, informa que ?negociações estão em andamento? com os terroristas que capturaram uma escola e tomaram centenas de crianças como reféns. Lev Dzugayev, assessor do presidente da Ossétia, informa que o contato com os seqüestradores indica que as crianças estão sendo tratadas de modo ?mais ou menos aceitável?.Mais cedo, os seqüestradores haviam exigido conversações com autoridades locais e um pediatra famoso, Leonid Roshal. Segundo a agência ITAR-Tass, os terroristas exigiram a libertação de pessoas detidas por uma série de ataques a instalações policiais na Ingushétia. Kazbek Dzantiyev, chefe do Ministério do Interior regional, disse que os terroristas ameaçaram matar 50 crianças ?para cada guerreiro destruído? e 20 crianças para cada ?guerreiro ferido?, informa a ITAR-Tass.Pais das crianças capturadas gravaram um vídeo para o presidente Vladimir Putin, pedindo que as exigências dos terroristas sejam atendidas.O ataqueOs terroristas chegaram à escola num caminhão coberto, do tipo usado para transporte de tropas. Tiros foram ouvidos após o ataque, e pelo menos três professores e dois policiais ficaram feridos, segundo Alexei Polyansky, porta-voz da polícia. Serviços de emergência falam em 11 homens e duas mulheres feridos a bala. A maioria dos reféns foi levada para o ginásio da escola, mas outros, principalmente crianças, foram posicionados nas janelas, segundo Polyansky.Pelo menos 12 crianças e um adulto escaparam depois de se esconder na sala do aquecedor da escola, disse Ruslan Ayamov, porta-voz do Ministério do Interior. A mídia local informa que até 50 crianças teriam conseguido escapar em meio ao caos da invasão do prédio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.