REUTERS/Sertac Kayar
REUTERS/Sertac Kayar

Sobe para 22 número de mortos em terremoto na Turquia

Terremoto de magnitude 6,8 na sexta-feira sacudiu a província de Elazig,cerca de 550 km a leste da capital Ancara

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2020 | 04h15
Atualizado 25 de janeiro de 2020 | 14h23

TURQUIA - Subiu para 22 o número de mortos em um terremoto que atingiu o leste da Turquia no final da sexta-feira, 24, às 20h55 do horário local (às 17h55, no horário de Brasília), segundo a agência turca de emergências e desastres (AFAD).

O tremor chegou a derrubar prédios em cidades próximas epicentro, que foi forte o suficiente para ser sentido em vários países vizinhos. O terremoto de magnitude 6,8 abalou a província de Elazig, cerca de 550 km a leste da capital Ancara, e foi seguido por dezenas de tremores secundários.

Dezesseis das mortes aconteceram em Elazig e outras quatro na província vizinha de Malatya, informou a AFAD, neste sábado, 25. Cerca de 920 feridos estam em hospitais da região. O ministro do Interior, Suleyman Soylu, disse que equipes de emergência ainda estão procurando 30 pessoas sob os escombros.

A emissora estatal TRT mostrou imagens de dezenas de trabalhadores sob a luz do amanhecer usando pás para desenterrar um prédio parcialmente desabado em Elazig. As janelas foram quebradas e as varandas de pelo menos quatro andares caíram no chão.

As equipes trabalharam a noite toda com as mãos, brocas e escavadeiras mecânicas para remover tijolos e gesso das ruínas da cidade, onde a temperatura da noite caiu para 8 graus Celsius negativos.

"Nossas casas desabaram ... não podemos entrar nelas", disse um homem de 32 anos da cidade de Sivrice, epicentro do terremoto.

A mídia estatal na Síria e no Irã informou que o terremoto foi sentido nesses países. A mídia local no Líbano disse que as cidades de Beirute e Trípoli também sentiram o terremoto.

A AFAD alertou moradores a não voltarem aos edifícios danificados devido ao perigo de novos tremores secundários. Camas, cobertores e tendas estavam sendo enviados para a área onde algumas pessoas se abrigavam em ginásios esportivos. "Desejo a misericórdia de Deus para nossos irmãos que perderam a vida no terremoto e a cura urgente para os feridos", disse o presidente Tayyip Erdogan no Twitter.

Suleyman Soylu, declarou à agência Anatólia que espera que "não haja mais vítimas". "Sivrice foi sacudido muito seriamente. Enviamos nossas equipes de resgate à região", informou aos jornalistas.

A televisão turca divulgou imagens dos habitantes deixando seus prédios, um imóvel pegando fogo e socorristas buscando possíveis sobreviventes nos escombros. /AFP & REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.