Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Autoritarismo de Putin prejudica democracia na Rússia, diz Gorbachev

Ex-líder soviético critica postura de premiê e diz que vitória da Otan no Afeganistão é impossível

Estadão.com.br

27 de outubro de 2010 | 10h14

MOSCOU - O ex-presidente da Rússia Mikhail Gorbachev disse que o atual primeiro-ministro do país, Vladimir Putin, está obstruindo o desenvolvimento da democracia russa ao agir com dureza contra a oposição. "Ele acha que a democracia é feita do seu jeito", disse o ex-líder ao jornal americano The New York Times.

 

"Temo que o governo tenha aceitado a ideia de que o país precisa do autoritarismo. Eles acham que é preciso para governar", disse Gorbachev ao referir-se a Putin, de quem já foi aliado anteriormente, e ao presidente Dmitri Medvedev.

 

Gorbachev ainda descreveu o partido de Putin, o Rússia Unida, como "uma cópia ruim do Partido Comunista" e alertou que os membros da organização política do premiê alertam para as ações contra a oposição.

 

O ex-presidente referiu-se especialmente à decisão de Putin em 2004, quando o atual premiê era então presidente e eliminou as eleições para o governo regional e para as prefeituras de São Petersburgo e Moscou, as duas principais cidades do país. Esses cargos, hoje em dia, são apontados pelo Kremlin. "A democracia começa com eleições. Eleições, credibilidade e mudanças", disse Gorbachev.

 

Gorbachev foi o último líder da União Soviética (URSS), responsável pelas reformas de abertura econômica e política do país antes de sua dissolução. As críticas do ex-líder a Putin não são novas, mas aumentaram nos últimos tempos devido às pressões do Kremlin sobre a oposição.

 

O porta-voz de Putin, Dmitri Peskov, foi cauteloso na resposta. "Temos o maior respeito pelo senhor Gorbachev, e certamente respeitamos seu ponto de vista. Isso, porém, não quer dizer que concordamos com ele".

 

Otan

 

Gorbachev disse em entrevista à rede britânica BBC que uma vitória das forças da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão é impossível.  Gorbachev afirmou que os EUA não têm alternativa a não ser retirar suas tropas "se quiser evitar outro Vietnã".

 

O ex-líder elogiou a decisão do presidente americano, Barack Obama, de começar a retirada de soldados do país no ano que vem, mas disse que os Estados Unidos vão passar por dificuldades para resolver a situação. "A vitória é impossível no Afeganistão. Obama está certo em retirar as tropas. Não importa o quão difícil isso será", disse Gorbachev.

 

'Treinamento de militantes'

 

Como líder soviético, Gorbachev tomou a decisão de sair do Afeganistão depois de uma guerra de dez anos, em 1989.  Ele disse que, na época, um acordo foi alcançado com Irã, Índia, Paquistão e EUA.

 

"Nós esperávamos que os americanos respeitassem o acordo a que chegamos de que o Afeganistão deveria ser um país neutro e democrático, que teria boas relações com seus vizinhos e tanto com os EUA como com a União Soviética", disse Gorbachev.

 

"Os americanos sempre disseram apoiar isso, mas ao mesmo tempo eles estavam treinando militantes - os mesmos que hoje aterrorizam o Afeganistão e cada vez mais o Paquistão."

 

Por causa disso, para o ex-líder soviético, seria mais difícil para os Estados Unidos resolver a situação do país hoje. "Mas qual é a alternativa? Outro Vietnã? Mandar mais 500 mil soldados? Isso não funcionaria."

 

Segundo Gorbachev, o melhor que a Otan poderia alcançar seria ajudar o Afeganistão a se recuperar e se reconstruir após a guerra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.