Italian Firefighters via AP
Italian Firefighters via AP

Avalanche atinge hotel na região central da Itália deixa dezenas de desaparecidos

Cerca de 30 pessoas estariam dentro do hotel Rigopiano, a cerca de 1,3 mil metros de altura, na cordilheira dos Apeninos; duas pessoas foram resgatadas vivas e um corpo foi encontrado no local

O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2017 | 08h27

ROMA - Uma avalanche causada possivelmente pelos terremotos que atingira, o centro da Itália na quarta-feira, 18, soterrou o hotel Rigopiano, na cidade de Farindola, deixando ao menos 30 pessoas desaparecidas, disseram autoridades nesta quinta-feira, 19. “Cerca de 30 pessoas estão desaparecidas, entre hóspedes e trabalhadores do Hotel Rigopiano, em Farindola”, disse Fabrizio Curcio, chefe do departamento de defesa civil da Itália.

As equipes de resgate já conseguiram acessar a área afetada pela neve e recuperaram um primeiro corpo, que seria de um homem, segundo informações de socorristas ouvidos pela imprensa local. Os socorristas continuam escavando a neve e buscando os desaparecidos, mas condições seriam "dificílimas".

A Proteção Civil da cidade de Penne, na província de Pescara, explicou que na quarta-feira, eram 22 os hóspedes registrados no hotel localizado no maciço do Gran Sasso (cerca de 1,3 mil metros de altura), na cordilheira dos Apeninos, então as outras vítimas devem ser funcionários do estabelecimento.

Antonio Crocetta, um dos responsáveis do Corpo de Resgate Alpino dos Abruzos, que chegou ao hotel após várias horas de subida com esquis, confirmou a presença de muitas vítimas no local.

O trabalho das equipes de resgate começou após receberem algumas mensagens de texto onde advertiam sobre a avalanche, mas as condições do tempo com intensas nevadas e mais de cinco metros de neve acumulados dificultaram o trabalho.

Por volta das 4 horas (hora local) desta quinta-feira, chegaram com esquis as primeiros equipes de resgate do Corpo dos Alpinos e resgataram dois homens, Giampiero Parete e Fabio Salzetta, hóspedes que não estavam no interior do hotel durante o desmoronamento e conseguiram se refugiar em um carro e alertar sobre o que estava acontecendo. “Estou vivo porque fui pegar algo no meu carro”, disse Parete, à equipe médica, de acordo com o site Repubblica. 

Onde Fica:

Também estão chegando algumas ambulâncias e outros veículos de resgate que vão abrindo passagem lentamente graças a máquinas para remover neve.  Os serviços de emergência enviaram helicópteros assim que amanheceu. 

Uma base de resgate foi montada na cidade de Penne, a cerca de 10 quilômetros do hotel Rigopiano, um popular resort de 4 estrelas, com 43 quartos. 

De acordo com os primeiros testemunhos das equipes de resgate, o hotel desabou parcialmente e está completamente soterrado sob a neve. É possível ver algumas luzes, mas não estão escutando vozes em seu interior. / EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
ItáliaTerremotoAvalanche

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.