Avança negociação para destruição de arsenal sírio

A Albânia, localizada na Península Balcânica, no sudeste da Europa, está próxima de ser confirmada como o local para a destruição do arsenal químico da Síria. Nesta sexta-feira (15), a Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) se reuniu para discutir um plano encabeçado pela comunidade internacional. O encontro foi suspenso duas horas depois do início para que as delegações dos países presentes trabalhassem no texto do acordo.

Agência Estado

15 de novembro de 2013 | 13h06

O regime do Bashar Assad exige que a destruição seja feito fora da Síria, e o território albanês é o mais cogitado para sediar o processo. O primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, disse em sua página no Facebook que tornaria pública a resposta ao pedido dos Estados Unidos para que o país destrua o arsenal sírio. Centenas de jovens acamparam do lado de fora do escritório do ministro para protestar contra o plano. "Não temos estrutura para lidar com as armas químicas sírias", disse a estudante de arquitetura Maria Pesha.

Qualquer processo de destruição que seja definido, onde quer que aconteça, será supervisionado por especialistas da Opaq, com sede em Haia. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
SÍRIAARMAS QUÍMICAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.