Mohammed Saber/Efe
Mohammed Saber/Efe

Aviação militar israelense bombardeia Gaza após cessar-fogo

Milícias palestinas responderam com o lançamento de dois foguetes ao território israelense

Efe,

15 de março de 2012 | 07h56

JERUSALÉM - A aviação militar israelense bombardeou Gaza durante a madrugada desta quinta-feira, 15, mas sem causar vítimas, em seu segundo ataque à faixa desde o anúncio de uma trégua, que também foi violada pelas milícias palestinas com o lançamento de dois foguetes ao território israelense.

Veja também:

especialMAPA: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

A Força Aérea israelense informou em comunicado que realizou ataques contra um ponto de lançamento de foguetes no norte de Gaza e um "túnel terrorista" no sul do território palestino, e confirmou ter atingido seus alvos.

"Os ataques são uma resposta direta aos foguetes disparados contra Israel", diz a nota militar, acrescentando ainda que as milícias palestinas lançaram um foguete Grad contra a cidade de Bersheva que foi interceptado pelo sistema antimísseis Iron Dome.

Testemunhas em Gaza confirmaram à Agência Efe que ontem à noite houve duas explosões de bombas lançadas por aeronaves israelenses no sul da cidade, mas sem causar vítimas.

Uma porta-voz do Exército assinalou à Efe que, desde a madrugada de quarta-feira, quando entrou em vigor o cessar-fogo informal estipulado com mediação egípcia entre Israel e as milícias Jihad Islâmica e os Comitês de Resistência Popular, os milicianos palestinos lançaram uma dezena de foguetes contra território israelense.

Nenhum deles provocou vítimas, assim como os dois bombardeios produzidos por Israel, o primeiro deles na manhã de ontem.

A frágil trégua conseguiu estabelecer uma relativa calma após quatro dias de violência nos quais morreram 26 palestinos (cinco deles civis) e caíram sobre Israel mais de 220 projéteis.

A escalada de tensão começou no fim da última semana, quando Israel assassinou o secretário-geral dos Comitês da Resistência Popular, Zuhair al Qaisi, acusado de planejar um atentado desde o Sinai.  

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaIsraelmíssil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.