Avião cai e explode em bairro populoso da capital do Congo

Cargueiro russo cai após falha na hélice durante decolagem na capital congolesa e mata pelo menos 25 pessoas

Agências internacionais,

04 de outubro de 2007 | 09h25

Um avião de carga de fabricação russa explodiu ao cair sobre três casas em um populoso bairro da capital da República Democrática do Congo (RDC), Kinshasa, nesta quinta-feira, 4, matando pelo menos 25 pessoas, segundo autoridades e testemunhas.  Terceiro país mais extenso da África, a RDC tem um dos piores registros em segurança aérea planeta, tendo passado por mais acidentes fatais do que qualquer outro do continente. O turboélice acidentado pertencia à África 1, companhia que foi barrada de voar na Europa devido a problemas de segurança. A aeronave caiu sobre casebres no bairro de Kingasani, perto do aeroporto internacional de Ndjili. Uma grande explosão se seguiu à queda, de acordo com um representante do aeroporto.  Citando informações da polícia, o porta-voz das forças de paz da ONU no Congo, conhecida como Monuc, disse que 25 pessoas morreram na explosão. Aida não está claro o que causou o acidente, e nem se todos as vítimas estavam a bordo da aeronave. De acordo com o Ministério de Assuntos Humanitários da RDC, citado pela France Presse, entretanto, o número de mortos chega a 38.  Michel Bonnardeaux disse ainda ter mobilizado uma equipe de resgate e bombeiros para o local do acidente. Com 17 mil integrantes, a força da ONU no país é a maior do mundo.  Uma autoridade do aeroporto que foi ao local do acidente disse à Reuters que os bombeiros tiveram dificuldades em chegar à área da queda, em uma favela.  A Cruz Vermelha congolesa informou ter retirado 22 mortos da área, assim como outros 22 feridos, que foram levados para hospitais. Segundo a polícia, em meio aos destroços ficava difícil reconhecer quem estava a bordo do avião e quem estava de fora.  Sabe-se, porém, que três russos estavam entre os mortos: o piloto, o co-piloto e um engenheiro de vôo, segundo o ministério de Relações Exteriores da Rússia. Ainda de acordo com o ministério, uma das hélices do avião quebrou durante a decolagem, fazendo com que a asa se rompesse ao chocar-se contra algumas árvores.  A descrição foi ecoada por várias testemunhas no local, que dissera ter visto o avião sem uma hélice após a decolagem. Bairro populoso O aeroporto da capital congolesa fica no bairro de Kingasani, uma zona muito povoada da cidade, habitada por cerca de sete milhões de habitantes. As equipes de resgate que chegaram ao local encontraram muitos corpos carbonizados, e comprovaram que as casas atingidas se incendiaram. O acidente registrado nesta quinta-feira ocorre pouco mais de um mês depois da queda de outro Antonov, em 26 de agosto deste ano, perto do povoado de Kongolo, no sudeste da RDC, matando 16 pessoas. Histórico de acidentes Nos últimos anos, acidentes similares ao registrado nesta quinta-feira tornaram-se "rotineiros" na RDC. Em 2003, a RDC deu fim a uma sangrenta guerra civil que causou a morte de mais de três milhões de pessoas e que destruiu a infra-estrutura do país, motivo pelo qual os aviões costumam ser o principal meio de transporte nas regiões afastadas do território congolês. Em 3 de agosto de 2006, 17 pessoas morreram no povoado de Bukavu (leste) na queda de outro Antonov, que também transportava carga e passageiros. Um ano antes, em 9 de setembro de 2005, outro avião de carga - também um Antonov - caiu ao norte da capital da República do Congo, Brazzaville, quando se dirigia à vizinha RDC. Treze pessoas morreram na ocasião.

Tudo o que sabemos sobre:
AviãoCongo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.