AKI Press/AP
AKI Press/AP

Avião cai no Quirguistão e todos os 88 a bordo sobrevivem

Acidente deixou apenas 31 feridos; autoridades investigam causas da queda, ainda desconhecidas

Associated Press

28 de dezembro de 2011 | 17h26

BISHKEK - Um avião construído na época da União Soviética caiu no sul do Quirguistão enquanto tentava pousar, informaram nesta quarta-feira, 28, as autoridades locais. O acidente, entretanto, deixou apenas 31 feridos e nenhum morto, algo pouco usual tratando-se de quedas de aeronaves.

 

O Tupolev de modelo Tu-134 decolou da capital do país, Bishkek, e tentava pousar na cidade de Osh, disse Ilyas Egemberdiyev, porta-voz da companhia operadora do voo. Durante o processo de pouso, uma das asas quebrou, fazendo a aeronave tombar e, posteriormente, pegar fogo.

 

As equipes de resgate imediatamente apagaram as chamas e retiraram os 82 passageiros e os seis tripulantes do local com vida. O ministro de Situações Emergenciais, Kubatbek Boronov, afirmou que dos 31 feridos, apenas 17 foram hospitalizados.

 

As autoridades não comentaram as possíveis causas do acidente. Uma equipe ministerial viajaria a Osh para iniciar uma investigação, embora os fortes ventos e a densa neblina da área tenham atrasado a chegada da delegação.

 

O bimotor Tu-134 foi um dos aviões mais usados pela aviação civil soviética a partir os anos 1960, com mais de 800 veículos do modelo construídos. Algumas prestadoras de serviço ainda usam a aeronave.

 

Nos anos recentes, a Rússia e outras nações ex-soviéticas registraram os piores índices de segurança aérea do mundo. Especialistas afirmam que a manutenção ruim, as aeronaves antigas e precárias, o fraco controle do governo, os cortes de orçamento e a deficiência no treinamento dos pilotos são as causas para tantos acidentes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.