Avião cai no Quirguistão; pelo menos 65 morrem

Boeing 737 levava 90 pessoas com destino ao Irã; aeronave caiu 10 minutos após decolagem

Agências internacionais,

24 de agosto de 2008 | 15h27

Um Boeing 737 com pelo menos 90 pessoas caiu neste domingo, 24, perto do aeroporto internacional de Manas, nos arredores da capital do Quirguistão, Bishkek. Há contradições sobre o número de vítimas. Inicialmente, a porta-voz do governo, Roza Daudova, disse que pelo menos 71 morreram, mas depois um conselheiro da Presidência e o Ministério da Saúde abaixaram o número de mortos para 65. Fontes do Ministério de Situações de Emergência informaram que durante a decolagem do Boeing houve um problema técnico. A falha foi percebida após 10 minutos de vôo e o piloto decidiu voltar ao aeroporto, mas, durante o retorno, o avião acabou caindo sobre um campo.   Veja também: Avião cai na Guatemala; pelo menos 10 morrem Falha obriga avião da Spanair a interromper vôo    De acordo com a agência russa Interfax, a aeronave pertencia à companhia privada Itek-Air e fazia o trajeto de Bishkek à cidade de Mashhad, no Irã. Ao local do acidente foram enviadas "todas as 14 ambulâncias" que havia disponíveis na capital quirguiz, informaram fontes do Ministério da Saúde.   "Segundo informações preliminares, 20 das 90 pessoas a bordo sobreviveram", declarou o primeiro-ministro do Quirguistão, Igor Chudinov. "O piloto sobreviveu, mas é difícil de falar com ele agora", continuou. Ele afirmou ainda que entre os sobreviventes estão os sete tripulantes do avião e acrescentou que, segundo dados preliminares, a catástrofe ocorreu devido a uma despressurização no interior da aeronave. Entre os mortos há um time de basquete, formado por 17 adolescentes.   O chefe do governo quirguiz explicou que nada indica que tenha ocorrido uma explosão, e que o avião, fabricado em 1979, estava em boas condições técnicas, pois tinha prolongado o prazo de vida útil e passou por uma revisão completa há um mês.   Pelo menos 18 das vítimas resgatadas do avião em chamas foram hospitalizadas. Algumas estavam em estado grave, informou a porta-voz do Ministério da Saúde, Yelena Bayalinova, à agência Associated Press.   O major Damian Pickart, do escritório de Relações Públicas da base aérea dos Estados Unidos em Manas, declarou que foram enviadas ambulâncias americanas ao local do acidente, além de equipamentos para ajudar no controle do incêndio.   A Itek Air foi proibida de operar no espaço aéreo da União Européia (UE) por não atender as normas de aviação civil, de acordo com uma lista publicada nos Estados Unidos em julho. O Quirguistão é um pais pobre e montanhoso da Ásia central. A base americana na ex-república soviética apóia as operações no Afeganistão.   (Matéria atualizada às 17h40)  

Tudo o que sabemos sobre:
acidente aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.