Pavel Mikheyev/Reuters
Pavel Mikheyev/Reuters

Queda de avião deixa ao menos 12 mortos no Casaquistão

Aeronave com 98 pessoas a bordo caiu pouco após a decolagem; acidente causa discussão sobre segurança aérea

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2019 | 00h29
Atualizado 27 de dezembro de 2019 | 19h38

Um avião com 98 pessoas a bordo – 93 passageiros e 5 tripulantes – bateu em um edifício e caiu pouco depois da decolagem do Aeroporto Internacional de Almaty, no Casaquistão, na manhã desta sexta-eira, 27. Ao menos 12 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas.

A queda da aeronave da Bek Air foi a tragédia de aviação mais recente de uma série ocorrida em uma antiga república soviética e aumenta os temores sobre a segurança aérea no país, apesar do alto número de sobreviventes. A região registra o aumento do número de empresas de baixo custo como a Bek Air, mas as medidas de segurança ainda deixam a desejar. 

O Ministério dos Transportes do Casaquistão informou que o Fokker-10 perdeu “altitude após decolar, bateu em um muro de concreto e colidiu contra um sobrado”.

Imagens publicadas pelo comitê de Situações de Emergência mostraram o avião dividido em dois pedaços, com a parte da frente em cima da casa parcialmente destruída. A parte traseira caiu no campo ao lado do aeroporto.  A aeronave estava voando para Nursultan (antiga Astana), capital do país.

A queda ocorreu em uma área muito povoada de Almaty, e ao que parece os destroços do aparelho não se incendiaram. Centenas de socorristas, apoiados por caminhões de bombeiros e ambulâncias, chegaram em pouco tempo ao local, onde havia muita neve.

Em mensagem de condolências publicada no Twitter, o presidente Kassym-Jomart Tokayev declarou que “os responsáveis serão castigados severamente, de acordo com a lei”.

A Bek Air se descreve em seu site como a primeira companhia aérea de baixo custo do Casaquistão, com uma frota de sete Fokker-10, um avião de médio alcance de fabricação holandesa. O governo casaque determinou que as aeronaves da companhia permaneçam em terra durante a investigação do acidente.

Na Rússia, o acidente despertou discussões sobre os próprios problemas aéreos do país. A queda do voo da Bek Air ocorre depois de um pouso de emergência realizado por um avião da Aeroflot em Moscou, em maio, que acabou com 41 mortos, e um acidente com uma aeronave da Saratov Airlines nos arredores da capital russa no ano passado, que matou as 71 pessoas a bordo. /NYT e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Cazaquistão [Ásia]acidente aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.