Avião com mais de 150 a bordo cai perto da capital do Paquistão

Airbus da companhia Air Blue se acidentou quando preparava pouso; não há sobreviventes

estadão.com.br

28 de julho de 2010 | 06h30

Helicóptero realiza buscas no local da queda do Airbus.

 

ISLAMABAD - Todas as 152 pessoas a bordo avião que caiu em uma região montanhosa perto de Islamabad morreram, informaram nesta quarta-feira, 28, as autoridades do Paquistão. O acidente ocorreu quando o Airbus 321 da companhia paquistanesa Air Blue se preparava para pousar no aeroporto da capital paquistanesa.

 

Veja também:

linkAviadores consideram hipótese de 'desoientação do piloto'

mais imagens Imagens do acidente perto de Islamabad

especialEspecial: Os piores acidentes aéreos da História

 

As equipes de resgate já recuperaram mais de cem corpos dos destroços do avião. O ministro do Interior, Rehman Malik, citado pelo canal Geo TV, anteriormente havia dito que cinco sobreviventes foram resgatados e hospitalizados em situação grave. Posteriormente, Imtiaz Elahi, chefe de um órgão de emergências do país, confirmou que todos os ocupantes da aeronave - seis tripulantes e 146 passageiros - morreram. Mais de 90 corpos já foram recuperados pelas equipes de resgate.

O avião decolou às 7h50 locais (23h50 de terça em Brasília) na cidade de Karachi, sul do país, com destino a Islamabad, e se acidentou quando se preparava para pousar. O Airbus caiu sobre uma área muito arborizada das Colinas de Margala, a norte de Islamabad, em área onde o Exército também possui instalações, o que agilizou na mobilização das equipes para as tarefas de salvamento. No momento do acidente chovia forte e havia denso nevoeiro na região.

As condições climáticas e o difícil acesso ao local onde caiu o avião estão dificultando os trabalhos de resgate, que têm participação de três helicópteros e uma unidade de soldados do Exército, disse um porta-voz militar à agência de notícias APP. É impossível chegar ao local do acidente em veículos terrestres por conta da vegetação e do relevo.

Diversas fontes citadas pelos canais de televisão disseram que ainda não são conhecidas a causas do acidente. A tripulação do avião tinha perdido contato com a torre de controle alguns minutos antes. Algumas versões não confirmadas asseguram que a aeronave tinha recebido ordem de seguir sobrevoando a zona, pois o aeroporto de Islamabad estava congestionado.

As redes de televisão mostraram imagens da fuselagem, parcialmente em chamas e totalmente destruída, em uma região elevada das Colinas de Margala.  Testemunhas citadas pela Geo TV disseram ter visto o avião voando em altitude muito baixa antes do acidente, e outros afirmaram ter ouvido uma explosão minutos depois. Também há versões não confirmadas que dão conta de uma explosão no depósito de combustível em pleno voo.

O primeiro-ministro paquistanês, Yousef Raza Guilani, e o presidente, Asif Ali Zardari, expressaram em comunicados suas consternações pelo acidente e pediram rapidez nos trabalhos de resgate.

 

Equipes de resgate se apressam para resgatar sobreviventes.

 

Familiares das vítimas lamentam ao saber da queda do avião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.