Avião da Embraer do mesmo modelo que o acidentado sai da pista na China

Segundo os responsáveis pelo aeroporto, o incidente interrompeu durante uma hora o tráfego aéreo, mas não causou vítimas

Efe,

27 de agosto de 2010 | 03h52

Um avião Embraer E-190, do mesmo modelo que o que está semana se acidentou no nordeste da China causando 42 mortes, saiu da pista de aterrissagem no aeroporto Wuxu, nesta sexta-feira, 27, na cidade de Nanning (sul), informou a agência oficial "Xinhua".

O avião, pertencente à companhia aérea Tianjin Airlines e que voava de Xian (centro da China) a Haikou (sul) com escala em Nanning, saiu da pista e percorreu parte de um campo de plantações na quarta-feira, dia 25. Entretanto, as autoridades aeroportuárias só divulgaram informações sobre o fato no final do dia na quinta.

A cidade de Nanning vem sofrendo, durante está semana, com os efeitos da tempestade tropical "Mindulle", e por isso a pista de aterrissagem estava molhada, o que pode ter contribuído para o incidente.

Na noite de 24 de agosto, outro Embraer E-190 se acidentou no aeroporto da cidade de Yichun, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Rússia, causando a morte de 42 pessoas e deixando outras 54 feridas, algumas delas ainda em estado grave.

O avião que se acidentou também teve problemas durante a aterrissagem, saiu da pista e teve uma pequena explosão na cabine, provocando um incêndio no aparelho.

Após esse acidente, a agência oficial, "Xinhua", informou que a Aviação Civil da China tinha detectado erros técnicos há alguns meses em pelo menos um avião E-190 importado da Embraer.

Segundo a fonte estatal chinesa, tinham sido detectados problemas técnicos em um dos 30 aparelhos deste modelo que operam na China (cinco pertencentes Henan Airlines, à qual pertencia o avião acidentado, e 25 à Tianjin Airlines). Entretanto, as investigações ainda não determinaram se o acidente foi causado por falha técnica ou humana.

Segundo a imprensa, há suspeitas de que o aeroporto de Yichun se encontra em um lugar inseguro (rodeado de florestas) e não estava preparado para voos noturnos.

O acidente desta semana foi o primeiro com vítimas mortais sofrido por um avião da Embraer, segundo fontes da empresa.

A companhia é a terceira fabricante mundial de aviões comerciais, depois da americana Boeing e da europeia Airbus, e possui uma fábrica na cidade nordeste chinesa de Harbin, na mesma província onde aconteceu o acidente (Heilongjiang).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.