Avião de Taiwan explode no Japão; passageiros fogem

Turistas fugiram pelas rampas deemergência momentos antes de o avião em que estavam explodir epegar fogo, na segunda-feira, minutos depois pousarem nobalneário de Okinawa, no sul do Japão. O motor esquerdo do Being 737-800 da China Airlines, deTaiwan, explodiu pouco depois de pousar na cidade de Naha,procedente de Taipé (capital de Taiwan). O avião ficoudestruído, mas os 165 passageiros e tripulantes escaparam,segundo autoridades e testemunhas. "Vi vários passageiros deixarem o avião usando uma rampa.Cerca de um minuto depois, ouvi o som de uma explosão -- foiuma grande explosão", disse Tadahiro Hasuo à TV NHK,acrescentando que, passando de táxi perto do aeroporto, chegoua sentir o calor da explosão. Um vídeo feito por uma testemunha mostrou passageirosescorregando por duas rampas no lado direito do avião, enquantoas chamas e a fumaça tomavam conta do lado esquerdo. Depois que o fogo foi controlado, os restos calcinados doaparelho permaneceram na pista perto do terminal. O nariz ficoucaído de um lado, enquanto a cauda -- pintada com um botão deameixeira, logotipo da empresa -- ficou intacta no outro. Entreas duas partes, era possível ver o resto do interior, ondeestava tudo preto de fuligem, e grande parte do teto da cabinehavia desaparecido. As investigações preliminares indicam que um vazamento decombustível provocou o incêndio. "Não temos informação que indique que o acidente foi ligadoao terrorismo. Há uma possibilidade de o motor explodir e pegarfogo devido a um vazamento de combustível", disse um policialem Naha, capital de Okinawa, à Reuters. Um aeroviário ficou ferido, segundo a agência de notíciasKyodo. A empresa disse que o avião, com 157 passageiros e oitotripulantes, havia acabado de passar pela manutenção. "Tudo funcionava segundo o procedimento normal, não havianada errado durante o vôo", disse Johnson Sun, assessor deimprensa da China Airlines. A companhia tem um histórico problemático, com quatroacidentes fatais nos últimos 13 anos, inclusive a queda de umavião na cidade japonesa de Nagoya, em 1994, que matou 264pessoas. As praias de Okinawa são muito procuradas por veranistas devárias partes da Ásia, especialmente nos últimos anos, com aredução das restrições japonesas a vistos. O Departamento de Aviação Civil de Taiwan anunciou o enviode três representantes e de funcionários da China Airlines aOkinawa para investigar a causa do acidente.Os motores do avião haviam sido fabricados pela CFMInternational, joint venture entre a General Electric e aSnecma (unidade da Safran), segundo uma fonte do Ministério dosTransportes do Japão, que ressalvou ser cedo para atribuir oacidente a uma falha do motor.(Reportagem adicional de Isabel Reynolds e Leika Kihara emTóquio e Ralph Jennings em Taipé)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.