Avião derrapa, pega fogo e 88 pessoas morrem na Tailândia

Aeronave carregava 130 pessoas, entre tripulantes e passageiros; 42 são resgatados com vida

Agências internacionais,

16 de setembro de 2007 | 08h45

Um avião da companhia tailandesa "One To Go" derrapou, se chocou contra árvores e pegou fogo, na manhã deste domingo, 15, deixando pelo menos 88 pessoas mortas. O acidente aconteceu quando a aeronave aterrissava no aeroporto da ilha turística de Phuket, na Tailândia - um dos principais pontos turísticos do país. Segundo autoridades, havia 130 pessoas a bordo da aeronave, que se partiu ao meio logo depois de bater com as árvores e pegou fogo.  Veja também:Tailândia desconhece causas do acidente Veja mais imagens do acidente  Outras 42 pessoas sobreviveram ao acidente e foram encaminhadas para diferentes hospitais na região do aeroporto. O avião, um McDonnell Douglas MD-82, aterrissou em meio à chuva intensa e derrapou até sair da pista e bater contra um conjunto de árvores. Segundo relato de autoridades, após o choque, ouviram-se vários sons de explosão. "O avião se incendiou imediatamente depois de derrapar", relatou Nong Khaonual, um dos sobreviventes do desastre, ao Canal ITV.  Chiasak Angkawan, funcionário do departamento de Aviação Civil, afirmou que o piloto do avião pediu autorização para aterrissar devido ao mau tempo, o forte vento e a chuva. Segundo o funcionário, aparentemente o piloto perdeu a visibilidade da pista. No aparelho, que é de propriedade da Orient Thai Airlines e procedente de Bangcoc, viajavam sete tripulantes e 123 passageiros - pelo menos a metade eram turistas estrangeiros. "Em nenhum momento a tripulação deu avisos de que havia problemas para aterrissar. Entre os sobreviventes, há 12 tailandeses, seis britânicos, seis irlandeses, três australianos, três iranianos, dois suecos, um alemão e um holandês, segundo dados conseguidos com os hospitais para onde os sobreviventes foram transferidos. Muitas das vítimas foram encontradas pelos serviços de resgate carbonizadas e presas a seus assentos pelo cinto de segurança. A nacionalidade dos sobreviventes, entre os quais estão o piloto e o co-piloto não foi confirmada pela empresa aérea. Segundo o presidente da One To Go, Udom Tantiprasongchai, o processo de análise dos dados da caixa-preta da aeronave deverá ser concluído em uma semana. A polícia deverá criar um comitê especial para investigar as causas do acidente. "Agora é necessário concentrar-se em atender aos feridos e aos parentes das vítimas", disse. O acidente deste domingo é o mais grave desde dezembro de 1998, quando 101 pessoas morreram após uma explosão de uma aeronave. Texto alterado às 16h35.

Tudo o que sabemos sobre:
aviãotailândiaphuketacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.