Avião do presidente da Bolívia pousa em Fortaleza para abastecer

Evo Morales vem da Europa, onde foi impedido de usar o espaço aéreo devido a suspeita de estar transportando o ex-analista americano Snowden

Lauriberto Braga,

03 de julho de 2013 | 19h42

O avião do presidente da Bolívia, Evo Morales, pousou na Base Aérea de Fortaleza por volta das 18h30 desta quarta-feira, 3 de julho. O avião faz uma rápida parada técnica para abastecimento rumo a La Paz. A imprensa foi informada que o presidente não sairia da aeronave.

Evo Morales vem da Europa, onde foi impedido de usar o espaço aéreo devido a suspeita de estar transportando o ex-analista de inteligência norte-americano Edward Snowden.

O governo boliviano apresentou uma reclamação nesta quarta-feira junto à Organização das Nações Unidas (ONU) e pretende fazer outra à Comissão de Direitos Humanos da instituição contra os quatro países europeus - França, Portugal, Espanha e Itália - que fecharam seus espaços aéreos para a passagem do avião boliviano. "Como governo, estamos apresentando reclamações em todo o mundo", afirmou o vice-presidente, Alvaro Garcia, alegando violação dos direitos internacionais.

Repúdio. Governos da América Latina repudiaram a ação dos países europeus. A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, classificou a ação dos países europeus de constrangedora. "O constrangimento ao presidente Morales atinge não só a Bolívia, mas à toda América Latina. Compromete o diálogo entre os dois continentes e possíveis negociações entre eles. Exige pronta explicação e correspondentes escusas por parte dos países envolvidos nesta provocação."

Dilma também citou o desrespeito ao direito internacional. "O noticiado pretexto dessa atitude inaceitável - a suposta presença de Edward Snowden no avião do presidente -, além de fantasiosa, é grave desrespeito ao direito e às práticas internacionais e às normas civilizadas de convivência entre as nações. Acarretou, o que é mais grave, risco de vida para o dirigente boliviano e seus colaboradores."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.